Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ

Darklove

A encantadora leitura de The Kiss of Deception, primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio

Escrito pela brilhante Mary E. Pearson, The Kiss of Deception nos prende a história de Lia logo nas primeiras páginas e revela a jornada da jovem princesa de Morrighan

Por Keyla Kercya, parceira DarkSide

Clichê! É assim que, pela sinopse, você teria a fórmula mágica para mais um livro de princesa fujona envolvida em triângulos amorosos e regado a mimimi. Isso aconteceria se a autora Mary E.Pearson não houvesse feito bem o dever de casa, mas em The Kiss of Deception, ela fez e fez bem feito.

Lia, ou melhor, a Princesa Arabella Celestine idris Jezelia, mora no reino de Morrigham, e aqui as primeiras filhas possuem dons especiais. Lia, no entanto, não possui tal dom, mesmo vindo de uma linhagem nobre e sendo a primeira filha isso não despertou em Lia. A questão se agrava com o fato de Lia estar comprometida ao Príncipe de Dalbreck com quem o reino de Morrighan pretende estreitar laços já conturbados na esperança de que isso possa vir a trazer algum tipo de recuo na crescente ameaça de um reino vizinho chamado Venda.

Só que Lia não quer casar. Tudo isso vira uma confusão na mente dela e a faz tomar a atitude mais drástica possível: Fugir! Sendo assim, no dia do seu casamento, ela parte de Morrighan com a ajuda da sua amiga Pauline para o vilarejo de Terravim. Claro que isso deixa todos no reino atônitos, e desperta algo no Príncipe, que até então nunca tinha posto os olhos em sua futura esposa.

Ao fugir, Lia começa a viver na pacata Terravim trabalhando como garçonete em uma taverna, mesmo assombrada pelos “demônios do passado”, no entanto, tudo muda quando dois jovens rapazes entram no local. E daí é quando o bicho pega e a trama se desenvolve, pois um deles é o Príncipe e o outro um assassino cruel enviado para matar a Princesa.

Vi que a hype desse livro estava ficando alta fora do Brasil e decidi dar uma chance. E, claro, fui tragada por essa leitura. O livro é brilhantemente dividido em POVs (Point of view), onde vemos capítulos com a Lia, o Príncipe e o assassino. Porém, se você acha que isso aqui é As Crônicas de Gelo e Fogo, publicadas fora do Brasil, onde o nome da personagem está no topo, ledo engano, um dos grandes mistérios do livro está em descobrir quem é quem. Mesmo nos capítulos da Lia você consegue se confundir.

O que eu posso dizer é que é um livro maravilhoso. A leitura é carregada de plot twists, e quebra estereótipos o tempo todo. Lia é uma personagem super bem construída e que evolui ao longo da narrativa. Pra falar a verdade o livro também é sobre evolução! É sobre autodescobrimento, moldar seu caráter, amizade, amor, lealdade e ser você mesma. Sobre a força feminina, sobre não sermos sexo frágil. Tudo isso atrelado a um mundo fantástico e com mistérios divertidos criados pela brilhante Mary E. Pearson.

O que mais posso dizer? Que amei. Além, é claro, de mergulhar de volta com a Lia na continuação dessa trilogia que foi sucesso total, tanto com The Heart of Betrayal como com The Beauty of Darkness. Indico o livro para todos os leitores e amantes de fantasia, e até para quem ainda não se aventurou nesse gênero, mas ama boas histórias e narrativas fluídas.

Publicado originalmente no blog Skull Geek

1 Comentário

  • Paola Cruz

    19 de dezembro de 2019 às 07:35

    Gente!?Como é possível amar tanto uma série sem mesmo ter lido? Esse é meu caso com crônicas de amor e ódio.

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

  • Experiência Dark
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CuriosidadesMacabra

Política e paranoia: O que torna Invasores de Corpos uma obra tão grande?

Por Cláudio Gabriel “Toda arte é política”, bradam alguns. “A arte não...

Por DarkSide
EntrevistaPrêmio Machado

Isa e Pétala: “Representatividade é capaz de confrontar sujeitos e ressignificar imaginários”

Pétala Souza e Isa Souza são irmãs e ativistas literárias em busca de...

Por DarkSide
MacabraPerfil

Rhoda Broughton: Uma vitoriana macabra que desafiou sua época

Sabemos que na Era Vitoriana mulheres escritoras ainda eram vistas com certa...

Por DarkSide
FilmesListasSéries

10 Personagens que desconstroem a imagem virtuosa do herói

Quando somos pequenos conhecemos conceitos de bem e mal de forma bem definida e...

Por DarkSide
DarkloveLivros

Série Wayfarers: a ficção científica com representatividade

Por Camila Cerdeira Eu acredito que cresci gostando de ficção científica. Meu pai me...

Por DarkSide