Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ

DarkloveFilmes

Atriz Halle Bailey será Ariel em live-action de A Pequena Sereia

Ainda sem data de estreia, o longa também deve contar com Jacob Tremblay e Melissa McCarthy no elenco

A atriz norte-americana Halle Bailey foi anunciada nesta quarta-feira no papel de Ariel no live-action do filme A Pequena Sereia, que ainda não tem data prevista de estreia. A informação foi confirmada pelo diretor Rob Marshall e a produção do filme deve ficar para o começo de 2020.

Ao The Hollywood Reporter, Marshall garantiu encontrou uma voz à altura da Ariel. “Após uma busca extensa, estava bem claro que Halle possui a rara combinação de espírito, coração, juventude, inocência e substância, além de uma voz gloriosa — todas qualidades intrínsecas para esse papel icônico.”. Bailey interpreta Skylar Forster na série Grown-ish (spin-off de Black-ish, do canal ABC), ao lado de sua irmã Chloe Bailey, no papel de Kazlyn Forster.

Além de atuarem juntas na série, as irmãs também são a dupla Chloe x Halle, que começou no YouTube com covers de músicas pop conhecidas, foram descobertas por Beyoncé e conseguiram um contrato com a gravadora da cantora. No Twitter, a dupla postou uma imagem não-oficial do longa com a legenda “dream come true…” (um sonho vira realidade).

O ator-mirim Jacob Tremblay (Extraordinário) e Awkwafina também estão em negociações para integrar o elenco, segundo site  The Hollywood Reporter. A atriz Melissa McCarthy deve ser a vilã Úrsula, mas ainda não há confirmação.

A fábula dark original de A Pequena Sereia, escrita por  Hans Christian Andersen e originalmente publicada em 1837, difere-se muito da animação da Disney, de 1989, com sua versão colorida e afável. E, pela DarkSide Books, a pequena sereia se revelou ainda mais real e próxima de nós com Gaia, em A Pequena Sereia & o Reino das Ilusões, de Louise O’Neill. Releitura de um dos contos mais famosos da história, o livro apresenta a jovem sereia chamada Gaia, que luta contra as imposições de uma sociedade subaquática sexista e patriarcal. O’Neill reimagina o sombrio conto de  Andersen com um novo olhar e cria um universo distópico para tirar o leitor da zona de conforto e fazê-lo refletir sobre a sociedade atual.

Sobre DarkSide

Eles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

1 Comentário

  • Fernanda

    4 de julho de 2019 às 08:40

    Não conheço o trabalho dela, então não posso falar. Mas admito que fiquei frustrada, os boatos sobre a Zendaya no papel me fizeram criar expectativas com ela no papel de Ariel (crie porquinhos e tenha bacon, mas não crie expectativas).

    De resto, gostaria que a Ariel fosse ruiva, mas estou tentando não ter esperanças (crie uma horta e tenha temperinhos, mas não crie expectativas.

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
FilmesHalloweenLançamento

Enfim Halloween!

Em um passado não tão distante, quando ouvimos falar em Halloween, duas coisas...

Por Cesar Bravo
Medo Clássico

Júlia Lopes de Almeida, uma gótica entre nós

Em 1897, 40 intelectuais brasileiros se juntam para fundar a Academia Brasileira de...

Por DarkSide
Crime SceneFilmes

Caso Richthofen: Livro de Ilana Casoy deu origem a dois filmes com pontos de vista diferentes

Em 2002 Suzane von Richthofen assassinou os pais com ajuda do namorado Daniel Cravinhos...

Por DarkSide
DarkloveMagicae

Celebre o início da primavera

Entender o ciclo natural do ano é uma das bases do conhecimento de toda Bruxa Natural...

Por DarkSide
LançamentoMacabra

Lançamento: Grimório Oculto, de John Michael Greer

Como revelar o que não podemos explicar? Acreditar é preciso. Essa é parte da...

Por Macabra