Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ

Darkside

Coisa do demônio? Conheça a origem do Carnaval

A celebração pagã que venerava grandes colheitas e divindades é a origem do Carnaval como conhecemos

A origem do Carnaval, festa considerada por muitos como tradicionalmente brasileira, remonta à Antiguidade — quando os povos podiam comemorar grandes colheitas e louvar as divindades de sua época. A festa pagã é originária dos egípcios, hebreus, gregos e romanos e, ao longo dos anos, ganhou suas adaptações brasileiras, além da musicalidade do samba.

Há quem encontre obscuridades no Carnaval justamente por sua origem pagã — que contraria os princípios cristãos e, geralmente, obedece aos chamados “prazeres da carne” como bebidas e sexo. Lendas urbanas também propagavam a ideia de que em época de Carnaval, o demônio andava solto pelas ruas, em referência a libertinagem e bebedeira que acontecia durante a festa.

Foto: Renata Meirelles / Território do Brincar

Segundo historiadores, a festa em homenagem a Saturno, deus das colheitas na Roma Antiga, era uma das mais celebradas — comércios e escolas eram fechados e até os escravos podiam dançar nas ruas. Nessa mesma festa surge também o termo carrum navalis, uma espécie de carro alegórico da Antiguidade onde homens e mulheres podiam dançar e festejar — geralmente nus.

Ainda na Roma Antiga,  Baco, deus do vinho, era uma das divindades mais celebradas. Dele vem a origem do termo bacanal — designado para descrever festas regadas a bebidas e sexo. A devassidão dessas festas era tanta que, após a Igreja Católica incorporar as festividades ao seu calendário, muitas práticas foram proibidas e a Quarta-feira de Cinzas ficou marcada por ser um dia para se arrepender dos pecados.

Outra expressão que, segundo os estudiosos, pode ter contribuído para a origem da palavra Carnaval é carnem levare, algo como “ficar livre da carne”. Quando, ainda na Idade Média, as festas pagãs foram incorporadas pela Igreja Católica, criou-se também as restrições impostas pelo período de quaresma, que antecede a Páscoa.

O Carnaval abrigaria, portanto, os últimos dias de “liberdade” antes das restrições do período, conhecido também como “penitência” pelos cristãos. A ligação entre as comemorações é tão clara que são as festividades da Páscoa que definem a data do Carnaval. Determinada a data da Páscoa que sempre acontece no primeiro domingo após a primeira lua cheia do outono — a Quarta-feira de Cinzas ficará 46 dias atrás no calendário.

No Brasil, a festa conhecida como entrudo foi uma das grandes influências para termos o Carnaval de hoje e começou a ser praticada pelos escravos. Nessas celebrações de origem portuguesa, era muito comum brincar com água, porém as famílias ricas não se misturavam à festa de origem popular. Verdadeiras “guerras de água” aconteceram nas ruas durante o século 17.

Com o passar dos anos e dos costumes, a festa “abrasileirada” foi ganhando proporções gigantescas até que em 1899, a musicista Chiquinha Gonzaga compôs “Ô Abre Alas”, considerada a primeira marchinha de Carnaval da história. Desde então, a música de tornou um marco do Carnaval carioca e brasileiro.

Terror na Avenida

As escolas de samba começaram a surgir no Brasil no final dos anos 1920, mas só foram se consolidar em desfiles a partir da década de 1960. Com o passar dos anos, a festa e os sambas de enredo foram se tornando mais críticos, ácidos e até mesmo inusitados para a data. Em 2018, a escola de samba Independente Tricolor abriu o primeiro dia de desfiles do grupo especial de São Paulo com um tema bastante inusitado.

Foto: Simon Plestenjak / UOL

A escola apresentou o samba-enredo Luz, câmera e terror – Uma produção Independente e contou com diversas homenagens aos mestres do horror, incluindo um carro alegórico com um polvo gigante em referência a H.P. Lovecraft, outro chamado Castelo dos Horrores e até uma alegoria em homenagem ao cineasta Zé do Caixão tocou o terror na avenida. Poderia perfeitamente ser um desfile DarkSide Books.

Foliões da escola também se vestiram de Jason, lendário personagem do clássico Sexta-Feira 13, além de inúmeros vampiros, caveiras e até o palhaço Pennywise, do filme It, baseado no livro do mestre Stephen King esteve na avenida. Ao se firmar no Brasil, o Carnaval se tornou, sobretudo, uma festa criativa onde há espaço para todos os temas e ideias, além de abrigar todas as tribos e atrair milhões de turistas ao Brasil — mostrando que, apesar de sua origem pagã, sempre haverá espaço para celebrar a liberdade e o amor.

Baixe a sua máscara de demônio e entre no clima dark do Carnaval:

1 Comentário

  • Murillo

    11 de março de 2019 às 15:37

    Que legal!!

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

Ed e Lorraine Warren - Demonologistas
R$ 54.90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Exorcismo
R$ 54.90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Legião
R$ 54.90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Crime Scene

O curioso caso das Criadoras de Anjos de Nagyrév

A vida em Nagyrév, vilarejo na região central da Hungria, não era nada fácil nas...

Por DarkSide
Cine Book ClubFilmes

‘Romero Lives!’ Cidade americana exibe filmes e legado do mestre George Romero

Foi em um cemitério de Pittsburgh, na Pensilvânia, que o o apocalipse zumbi começou...

Por DarkSide
Crime SceneDarkloveEntrevista

Jennifer Dahbura: Ilustradora de Geek Love e Lady Killers fala sobre suas inspirações

Assim como toda criança, Jennifer Dahbura era fascinada por lápis de cor, giz de cera...

Por DarkSide
EntrevistaGraphic Novel

Emily Carroll fala sobre a experiência de desenhar e escrever Floresta dos Medos

Emily Carroll sempre gostou de ouvir histórias lidas em voz alta. Ela se lembra de...

Por DarkSide
Cine Book Club

Por que Cabo do Medo, de Martin Scorsese, está entre os melhores thrillers da década de 90

Publicado originalmente no site Dan of Geek Após os elogios da crítica recebidos por...

Por DarkSide