Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


CrânioLançamento

Elas em Legítima Defesa: contundentes histórias reais

As contundentes histórias reais relatadas no documentário Legítima Defesa agora reunidas e ampliadas em um livro forte, necessário e emocionante livro.

Só em 2017, 4.936 mulheres foram mortas no Brasil, o maior número registrado desde 2007. Foram cerca de treze assassinatos de mulheres por dia, segundo o Atlas da Violência publicado em 2019. E 88% das vítimas de feminicídio são mortas pelos companheiros ou ex-companheiros.

Resultado de uma pesquisa que durou mais de quatro anos, Elas em Legítima Defesa: Elas sobreviveram para contar é uma jornada de empatia e compreensão que dá voz às mulheres vítimas de violência obrigadas a matar seus companheiros em legítima defesa. O livro acompanha as histórias reais de Nice, Soraia, Deise, Doralice, Emília e Úrsula, mulheres envolvidas em relacionamentos abusivos e capturadas no horror da violência doméstica — situações dramáticas que atingem milhões de mulheres no Brasil todos os dias.

De acordo com o artigo 25 do Código Penal brasileiro, “entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem”. Após examinar cinquenta processos nos Tribunais de Justiça do Rio de Janeiro e de São Paulo, Sara foi em busca de vítimas de violência de gênero em relações afetivas e ouviu relatos brutais, tocantes, inesquecíveis. A obra narra a trajetória dessas mulheres, passando pela paixão inicial, as primeiras agressões, a escalada da violência, o momento da luta pela sobrevivência, os julgamentos e, por fim, a reconstrução de suas vidas.

A pesquisa também foi o ponto de partida para o documentário Legítima Defesa, lançado em 2017 na mostra competitiva do Festival Mujeres en Foco em Buenos Aires, de onde saiu premiado. Idealizado e escrito pela jornalista e roteirista Sara Stopazzolli e sua irmã, a produtora de cinema Leda Stopazzolli, o filme teve direção de Susanna Lira e contou com a participação de duas sobreviventes que, enfrentando o preconceito, o medo e a culpa, aceitaram compartilhar suas histórias com as bravas mulheres também atrás das câmeras.

Dois anos após o lançamento do documentário, a DarkSide® Books apresenta a pesquisa completa de Sara Stopazzolli. É hora de conhecermos as histórias contundentes destas mulheres diante de um marido violento, o carinho de um filho, o abraço de uma sogra compassiva, a sororidade das companheiras e a sentença de liberdade nas palavras emocionadas de um juiz.

A obra apresenta histórias inéditas, novos dados, ilustrações da artista Juliana Russo, frames do documentário, além de estatísticas recentes e o aprofundamento de um tema — infelizmente — mais atual do que nunca. Em 2019, uma pesquisa divulgada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em parceria com o Datafolha, relatou que no ano anterior 536 mulheres foram vítimas de agressão física por hora no Brasil. São 4,7 milhões de mulheres condenadas à violência doméstica, que proporciona memórias atrozes, origem de muito traumas, que, por sua vez, se convertem em silêncio. Elas em Legítima Defesa: Elas sobreviveram para contar rompe esse padrão de silêncio na nossa sociedade e resgata a voz e a dignidade de mulheres que vivenciaram o verdadeiro horror — e sobreviveram para contar.

Sara Stopazzolli é jornalista, pesquisadora e roteirista. Trabalhou por mais de dez anos como repórter, colaborando com inúmeras publicações (Trip, tpm, piauí, Serafina, Revista do Globo) com foco em perfis e reportagens de comportamento. Criou a produtora Mera Semelhança em 2013, onde tem desenvolvido projetos audiovisuais. O documentário Legítima Defesa é o primeiro filme em que assina a pesquisa e o roteiro. Dirigiu e roteirizou o documentário em curta-metragem Escola de Homens, lançado pela mov.uol, que explora o ponto de vista de homens que frequentam um grupo reflexivo para supostos autores de violência doméstica. Recentemente, lançou o canal de podcast Luneta do Crime, onde conta histórias desconhecidas de crimes reais cometidos contra mulheres no Brasil.

“Reunindo relatos dolorosos e corajosos de mulheres que mataram seus companheiros para não morrerem, o livro reivindica o direito à vida para milhares de outras mulheres que continuam sendo brutalmente assassinadas e caladas por uma sociedade perversamente misógina. Uma leitura para quem tem sede de justiça.”
— ANA CECÍLIA COSTA, ATRIZ —

“Filme impactante, que nos faz repensar paradigmas e convida à reflexão: o que dói mais, o peso do medo por uma condenação injusta, do julgamento alheio… ou o da culpa? Essas mulheres são sobreviventes e heroínas das próprias vidas.”
— BIANCA BIN, ATRIZ —

“Filme comovente, de qualidade excepcional, e necessário nos dias de hoje.”
— EDUARDO SUPLICY, VEREADOR EM SÃO PAULO —

Elas em Legítima Defesa: Elas sobreviveram para contar é lançado exclusivamente em e-book. Durante os três primeiros meses, 100% da verba arrecada com as vendas será revertida para a Associação de Mulheres com Atitude e Compromisso Social (AMAC), ONG de Duque de Caxias (RJ) que atua desde 2010 no trabalho de acolhimento e apoio às mulheres e famílias vítimas de violência doméstica. Criada por Nill Santos – ela mesma vítima de violência por quase dez anos –, a ONG surgiu com o objetivo de ajudar outras mulheres a saírem deste mesmo ciclo, o primeiro passo de um importante processo que é a quebra do silêncio de muitas mulheres. Através de diversos projetos a AMAC tem realizado um trabalho de promoção, participação em ações de fomento, debate, e informação sobre a violência doméstica e suas múltiplas formas.

Ficha Técnica
Título | Elas em Legítima Defesa: Elas sobreviveram para contar
Autora | Sara Stopazzolli
Editora | DarkSide®
Edição | 1a
Idioma | Português
Especificações | 192 páginas
Dimensões | 16 x 23 cm
ISBN | 978-85-9454-206-9 (e-book)

Sobre DarkSide

Avatar photoEles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

  • Experiência Dark
  • Experiência Dark
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ListasLivros

Dicas de livros para presentear nesse fim de ano

O período de festas e confraternizações está chegando, e com ele aquela eterna...

Por DarkSide
DarkloveListasLivros

10 Livros com lições valiosas da marca DarkLove

Uma narrativa nunca se limita ao universo de seus personagens. Ela ressoa nas...

Por DarkSide
CuriosidadesGraphic NovelListas

Vampiros made in Brazil: Conheça 7 personagens

Quando se fala em vampiros, geralmente lembramos da Romênia e seu Conde Drácula ou...

Por DarkSide
Graphic NovelListas

10 Histórias em quadrinhos que vão te surpreender

Quadrinhos podem até ter sido uma das primeiras maneiras de prender a leitura das...

Por DarkSide
ListasLivrosMacabra

10 Livros macabros que você precisa conhecer

Até os DarkSiders mais trevosos já devem ter passado por isso: a sua leitura está...

Por DarkSide