Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


Darklove

O Circo Mecânico Tresaulti e Geek Love: a magia do circo na literatura

Genevieve Valentine e Katherine Dunn buscaram inspiração no circo para criar histórias fortes e repletas de ensinamentos

27/03/2019

A magia do circo sempre encantou plateias de todas as idades. Não importa quanto tempo passe, a atmosfera onde tudo é possível somada às apresentações arriscadas e alucinantes nunca perderá a graça. Os palhaços que correm pelo picadeiro enquanto executam truques que fazem as crianças gargalharem e também nos ensinam a rir de nossas falhas miseravelmente humanas são atração obrigatória em qualquer picadeiro – haveria cenário mais propício para a criação de histórias marcantes e repletas de ensinamentos? E foi nesse ambiente imaginativo e sem limites que duas autoras DarkLove se inspiraram e escreveram verdadeiros clássicos da literatura.

O circo teve sua origem no Império Romano, mas há mais de 4 mil anos algum tipo de arte circense já era praticada no mundo pelos mais diversos povos. Em Roma, o Circus Maximus foi um dos primeiros picadeiros do mundo, embora sua estrutura não fosse no tradicional formato de tenda. O Circus Maximus recebeu corridas de carruagens e apresentações de engolidores de fogo que impressionavam uma plateia com mais de 100 mil lugares e acabou se tornando a maior arena de entretenimento de Roma, porém depois de um grande incêndio, as apresentações foram remontadas no Coliseu. Atualmente, o local é um parque público que preserva as ruínas do antigo Circus Maximus.

Já o circo moderno surge no século XVIII, na Inglaterra, também para apresentações com cavalos. Mas para dar novos ares às exibições, surgiram números com palhaços, malabaristas e outros acrobatas. Hoje, a arte circense é ensinada e perpetuada em todo mundo – inspirando não apenas a literatura, mas a cultura pop no geral.

Na literatura, esses espetáculos foram muito além do encanamento e deixaram plateias vidradas com a complexidade de suas histórias. A temática do circo foi palco para os mais diferentes e improváveis espetáculos literários. O respeitável público de leitores da DarkSide Books pôde se inspirar, por exemplo, na força de Boss, em O Circo Mecânico Tresaulti, de Genevieve Valentine.

O steampunk de Valentine foi o primeiro lançamento da marca DarkLove e encantou os leitores. A trama se passa em um mundo pós-apocalíptico, onde as pessoas não têm mais acesso à tecnologia e uma caravana circense acaba levando esperança pelos lugares onde se instala. Os artistas desse circo são sobreviventes de guerra, que tiveram seus corpos mutilados e reconstruídos com complexas estruturas mecânicas. Tudo o que acontece nesse espetáculo é comandado por Boss, a líder da trupe.

Com asas, ossos modificados e uma infinidade de alterações que deixaram seus corpos humanos fortes e resistentes, os trapezistas e malabaristas desse circo distópico entretém o grande público com uma apresentação circense única. Quem ilustra O Circo Mecânico Tresaulti é o quadrinista brasileiro Wesley Rodrigues, autor de Imaginário Coletivo, lançado pela DarkSide Graphic Novel, em 2018.

Outra escritora também buscou referências na magia do circo para escrever o livro que inspirou a primeira edição do festival Lollapalooza. Katherine Dunn criou a estranha família do freakshow itinerante de Geek Love. E o termo “geek” aqui precisa ser esclarecido – diferentemente do que entendemos, na história é a matriarca da família Binewski – Crystal Lil Binewski – a grande atração geek. Essa era a forma que, originalmente, os artistas que arrancavam cabeças de galinhas ou pequenos animais com a boca para impressionar a plateia eram conhecidos.

As histórias reveladas em Geek Love são brutais e profundamente encantadoras quando compreendemos as diferentes camadas de cada personagem desse circo bizarro. Ao longo de todo o livro é possível identificar o sentimento de pertencimento que cada uma das criaturas do circo tem, além do amor e de algumas intrigas que são inevitáveis em todas as famílias – de seres normais ou não.

Geek Love foi lançado originalmente em 1989 e se tornou um dos livros favoritos de renomados artistas, como Neil Gaiman, Kurt Cobain, Flea e Terry Gilliam. Esses e outros mestres da cultura pop leram a história criada pela brilhante Katherine Dunn e se encantaram com a brutalidade e a bizarrice presentes na obra. O circo, desde sua origem, sempre foi sinônimo de alegria e algazarra, e, além de alegrar plateias, inspirou histórias profundas que se tornaram marcos da literatura moderna.

Sobre DarkSide

Avatar photoEles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

Geek Love
R$ 69,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Ela Não Pode Confiar

    Wicked
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Crime SceneCuriosidades

Jane Toppan: Conheça o caso dessa lady killer

Conhecida como “a primeira serial killer dos Estados Unidos”, Jane Toppan se valia...

Por DarkSide
FilmesFirestar Videolocadora

Deadly Blessing: Wes Craven, pesadelos e Sharon Stone

Alguns mestres supremos do terror se tornaram tão fortemente associados a algumas de...

Por Cesar Bravo
FilmesNovidades

Blumhouse fará um novo A Bruxa de Blair com a Lionsgate

Jason Blum vai reviver A Bruxa de Blair — e se você não captou o que significa essa...

Por DarkSide
Crime SceneLançamento

Lançamento: Lady Killers Profile: Jane Toppan, por Harold Schechter

Em 1891, Jane Toppan jurou cuidar e proteger em sua profissão como enfermeira...

Por DarkSide
Crime SceneNovidades

O.J. Simpson morre aos 76 anos

Aos 76 anos de idade, O.J. Simpson faleceu em decorrência de um câncer nessa...

Por DarkSide