Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ

Vários

As origens pagãs das comemorações de fim de ano

O Natal e o Ano Novo como conhecemos hoje é uma nova roupagem de comemorações que já existiam no mundo pagão

Quando pensamos em Natal logo vem à mente árvores decoradas, Papai Noel e o presépio do nascimento de Jesus. Embora o cristianismo tenha tentado convencer todo mundo de que a data celebra o nascimento de Cristo, as festividades já ocorriam muito antes de isso ter acontecido e em diferentes povos.

Aliás, a própria data do nascimento de Jesus é um mistério, que rende pesquisas e discussões entre historiadores até hoje. A maior probabilidade é de que ele tenha nascido entre setembro e outubro. Mas então por que o dia 25 de dezembro foi escolhido para tal celebração?

Assim como ocorre com outras festividades, como Halloween e Páscoa, o Natal como o conhecemos hoje é uma nova roupagem de comemorações que já existiam no mundo pagão, muito antes do cristianismo tomar conta. A escolha da data está mais próxima da astronomia do que de qualquer escrito sagrado.

LEIA TAMBÉM: 10 TRADIÇÕES E HISTÓRIAS MUITO MACABRAS DO NATAL

Yule: O Natal dos vikings

Pelo menos dois festivais são os que mais se aproximam dos rituais natalinos que praticamos até os dias de hoje: o Yule, dos vikings, e o Saturnália, comemorado pelos romanos antes do cristianismo tomar conta. Apesar de serem celebrados por diferentes povos, o motivo da festa era praticamente o mesmo: o solstício de inverno.

Não coincidentemente, muito perto da data do Natal o inverno atinge seu ápice no hemisfério norte. A noite mais longa do ano ocorre por volta do dia 21, ou seja, a partir daí o sol tende a dar mais as caras. Se pensarmos nas civilizações que moram mais ao norte e que sofrem mais com esta variação de luz solar, um pouco mais de luz é algo muito bem-vindo, ainda mais numa época em que nem se pensava em eletricidade. A noite extremamente longa é tema de 30 Dias de Noite, publicado pela linha Graphic Novel da DarkSide® Books.

Neste contexto, o Yule funcionava para os povos germânicos como uma forma de manter a população encorajada e otimista diante dos dias mais tenebrosos do inverno. A celebração funcionava como uma espécie de Natal e Ano Novo reunido, estendendo-se de 22 de dezembro a 2 de janeiro.

Algumas tradições desta comemoração foram adaptadas ao Natal cristão e perpetuadas por gerações. Um exemplo é o do tronco de Yule, que era queimado para aquecer as pessoas. Ele deu origem à tradição da árvore de Natal iluminada por luzes.

A vez dos romanos: Saturnália

Um pouco mais próximo da disseminação do cristianismo está o Saturnália, festival celebrado pelos romanos em homenagem ao deus Saturno. Embora em Roma não haja tanta variação da luz solar, as festividades também têm ligação com o solstício de inverno.

É preciso entender que naqueles tempos o inverno era associado ao tempo de vacas magras: animais morriam no pasto e a colheita ficava mais escassa, marcando dias difíceis. Nada mais justo para os romanos do que celebrar o deus associado às colheitas, à abundância e à renovação.

As festividades do Saturnália se iniciavam no dia 17 de dezembro e se estendiam por vários dias, culminando no Sol Invictus, dia do nascimento do deus Sol, não coincidentemente celebrado em 25 de dezembro. O teor da festa era bem parecido com o carnaval, com direito a fartos banquetes, troca de presentes e muita bebedeira — praticamente o Natal dos dias de hoje.

Para se ter uma ideia da liberdade praticada pelos romanos durante o Saturnália, as escolas eram fechadas, pessoas não eram presas, jogos de apostas eram liberados e escravos trocavam de lugar com seus mestres. Como Saturno era um deus que gostava de sacrifícios, era bem comum a realização de batalhas entre gladiadores neste período. Os derrotados viravam oferenda para o deus.

O Ano Novo é relativamente recente

O dia 1º de janeiro nem sempre marcou o início de um novo ano. Aliás, a data é relativamente recente: foi estabelecida em 1582 após a reforma do Calendário Gregoriano pelo Papa Gregório XIII. 

LEIA TAMBÉM: RITUAL ROMANO: DESCUBRA O MAL QUE SE ENTRANHA NAS SOMBRAS DO VATICANO

A maioria dos países católicos adotou a mudança logo de cara, mas locais em que o protestantismo predominava apenas adotaram o calendário reformado dois séculos depois. Até 1752 eles comemoravam a virada do ano de março para abril, dando origem ao Dia da Mentira em 1º de abril.

Como já observamos nas festividades de Saturnália e Yule, o Ano Novo também costumava ter relação com os astros, ocorrendo próximo ao solstício de inverno. Mas isso também não era uma unanimidade: os fenícios e os persas comemoravam a chegada de um novo ano no equinócio da primavera, enquanto os egípcios iniciavam o novo ciclo logo após as inundações do Nilo. Os chineses celebram o ano novo na segunda lua nova após o solstício de inverno até hoje.

O Ano Novo mais antigo que se tem registro foi celebrado há cerca de 4 mil anos, na antiga Babilônia. Para este povo que vivia na Mesopotâmia, o ano começava na primeira lua nova após o equinócio de primavera, coincidindo com o fim de março e início de abril. 

A data era comemorada com um megafestival chamado Akitu. Durante as celebrações eram realizados desfiles com estátuas de deuses e os rituais simbolizavam sua vitória sobre as forças do caos. Os babilônios acreditavam que estes rituais funcionavam como uma espécie de limpeza e que os deuses recriavam o mundo para o início de um novo ano e o retorno da primavera.

E você? Vai celebrar o Natal e o Ano Novo de que maneira neste ano?

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

Exorcismo: o Ritual Romano + Brindes Exclusivo
R$ 59,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Exorcismo
R$ 59,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Experiência Dark
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
DarksidePerfil

Por dentro do terror de Antologia Dark

Stephen King escreveu mais de sessenta livros, vendeu mais de 300 milhões de...

Por DarkSide
DarkSide BooksPrêmio Machado

1º Prêmio Machado DarkSide de Literatura, Quadrinhos e Outras Narrativas

A DarkSide® Books, primeira editora brasileira inteiramente dedicada ao terror, ...

Por DarkSide
Cine Book ClubFilmesLivros

De Volta Para o Futuro completa 35 anos em 2020

Há 35 anos, viajávamos no tempo pela primeira vez com Marty McFly a bordo de um...

Por DarkSide
Darklove

Laura Purcell e O Silêncio da Casa Fria

Se você é fã de histórias fantasmagóricas e com uma atmosfera mais sombria já...

Por DarkSide
Medo Clássico

7 curiosidades sobre Edgar Allan Poe

O enigmático olhar de Edgar Allan Poe parece habitar todas as suas obras. Nascido em...

Por DarkSide