Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


Crime SceneLançamento

Entenda a relação entre “Pumped Up Kicks”, do Foster the People, e Columbine

Conheça a história por trás da canção que liderou as paradas de sucesso da Billboard e chegou a ser banida de rádios norte-americanas

Não é todo mundo que analisa a fundo letras das principais músicas das paradas pop e busca entender as inspirações do compositor, mas “Pumped Up Kicks”, do Foster the People, que já esteve entre o top 5 da Billboard Hot 100, deu o que falar na época de seu lançamento em setembro de 2010 e voltou a ser assunto dias após o massacre de Suzano, no estado de São Paulo, em 13 de março deste ano.

A letra da música descreve um tiroteio em uma escola e “Pumped Up Kicks”, do álbum Torches, parte da perspectiva do atirador detalhando seus supostos motivos e plano de ataque. O preocupante refrão diz: “All the other kids with the pumped up kicks / You better run, better run, faster than my bullet” (“Todas as crianças com seus tênis modernos / É melhor correrem, correrem mais rápido que a minha bala”). A faixa chegou a ser banida de alguns locais devido ao seu conteúdo. A música, no entanto, foi amplamente elogiada pelos críticos e recebeu uma indicação ao Grammy Award de Melhor Performance Pop em Grupo.

Banida das rádios norte-americanas

Após o tiroteio na escola primária de Sandy Hook, em dezembro de 2012, “Pumped Up Kicks” foi banida da programação de algumas rádios norte-americanas. Em entrevista à revista Rolling Stone, o empresário Steve Jones, vice-presidente de programação da Newcap Radio, um conglomerado canadense com 82 estações de rádios, afirmou que a decisão é baseada no momento sensível que se estabelece logo após ataques em massa. Na época do tiroteio na escola em Sandy Hook, “Pumped Up Kicks”, do Foster The People, “Janie’s Got a Gun”, do Aerosmith, “Come Out and Play”, do Offspring, “Die Young”, da Ke$ha, e outras músicas com conteúdo violento ou relacionado a armas foram temporariamente retiradas da grade. “É uma linha tênue entre reagir apropriadamente e exagerar grosseiramente”, disse Jones. 

Uma das principais rádios de Los Angeles, a KIIS-FM, disse ao TMZ que a estação havia retirado completamente “Pumped Up Kicks” de sua grade após o tiroteio na escola de Sandy Hook. O fato aconteceu em 2012 e, na época do lançamento do hit, o Foster The People se posicionou sobre a polêmica letra. O vocalista Mark Foster disse que a canção relata a vida de um jovem psicótico e homicida para debater e conscientizar a respeito da violência armada nas escolas e foi em parte inspirada pela tragédia de Columbine.

“Pumped Up Kicks”: a inspiração no massacre de Columbine

O dia 20 de abril de 1999 deixou uma marca para sempre na história norte-americana. O massacre de Columbine pode não ter sido o primeiro tiroteio em massa, mas foi o primeiro da era digital — e o primeiro de larga magnitude, amplamente coberto pela imprensa americana e divulgado nos principais jornais ao redor do mundo. Na linha dos acontecimentos de Newtown, Aurora, Virginia Tech, Christchurch, Suzano e Ohio, tornou-se cada vez mais urgente compreender e confrontar acontecimentos como o de Columbine

Para Mark Foster, que compôs a letra de “Pumped Up Kicks”, a ideia era conscientizar sobre a existência de transtornos mentais na adolescência e alertar sobre a maneira como acontecimentos do tipo estavam sendo vistos. “Eu escrevi ‘Pumped Up Kicks’ quando comecei a ler sobre a tendência crescente da doenças mentais na adolescência. Queria entender a psicologia por trás disso, porque era desconhecido para mim. Estava com medo de ver para onde esse caminho estava nos levando se não começássemos a mudar a forma como estávamos criando a próxima geração”, escreveu em depoimento à CNN.

Columbine é lembrado até os dias de hoje sempre que um episódio horrível e similar ocorre, mas erros factuais e testemunhos duvidosos propagados à época que permaneceram como verdade absoluta para muitos moldaram a visão da imprensa e da sociedade sobre a figura daqueles que puxam o gatilho; é fácil dizer que dois meninos rejeitados pelos atletas e pelas garotas, vítimas de bullying, que vestiam sobretudos pretos e descontavam sua raiva em videogames violentos fizeram o que fizeram por essas razões, mas isso é, de fato, o que aconteceu em Columbine? Dave Cullen foi um dos primeiros repórteres a chegar ao local e passou dez anos escrevendo Columbine, livro que hoje é considerado a obra definitiva sobre o tema. Passar tanto tempo debruçado neste projeto o fez analisar a postura da imprensa na época com um olhar crítico e mergulhar na história das vítimas, dos sobreviventes e de suas famílias, além de traçar um amplo perfil dos atiradores.

LEIA TAMBÉM: Por que entendemos os acontecimentos de Columbine tão errado?

A questão da violência juvenil e do ambiente escolar é um assunto próximo ao Foster the People. Foster, o vocalista, foi vítima de bullying durante o ensino médio, enquanto o baixista da banda, Cubbie Fink, tem um prima que sobreviveu ao massacre de Columbine. “Ela estava na biblioteca quando tudo aconteceu, então fui correndo vê-la no dia seguinte e vivenciei o trauma que a cercava, vi como isso a afetou. Ela é tão próxima quanto uma irmã e, obviamente, isso me afetou profundamente também. Então, ser capaz de ter uma música para criar uma plataforma e falar sobre essas coisas tem sido bom para nós”, disse em entrevista ao canal CNN em 2012.

Sobre DarkSide

Avatar photoEles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

5 Comentários

  • Helen Joyce

    30 de agosto de 2019 às 20:08

    Muito interessante, ouvi essa música há um tempo atrás e lembrei de massacres como esse, por um momento me senti na mente deles e esse blog me abasteceu com mais informações

  • Erica

    31 de agosto de 2019 às 01:02

    Ótima matéria! Realmente, até os dias de hj, vejo que alguns interpretam erroneamente a letra de “Pumped Up Kicks”. Não é a adoração de um massacre, mas sim, o relato de uma tragédia que, infelizmente, se repetiu e se repete. Como o próprio cantor e compositor disse: é para refletirmos sobre as doenças mentais e tomarmos providências para que isto não ocorra novamente.

  • Maria

    31 de agosto de 2019 às 07:04

    É incrível como as pessoas confundem conscientização através da música com apologia, parece…
    As pessoas tem que entender que não é porque um assunto é polêmico que não deve ser discutido; é exatamente o contrário!
    Muito bom o artigo!

  • Helena Maciel

    31 de agosto de 2019 às 10:14

    Estou muito interessada em ler o livro Columbine, eu sou psicóloga e já dei palestra sobre jogos violentos, já tive que comentar sobre massacres em que a mídia brasileira queria justificar as tomadas de decisões dos assassinos e suicidas como culpa de jogos violentos. É fato que uma doença mental grave é a verdadeira potência para o acometimento de atrocidades entre pessoas, mas é triste como as pessoas quando já tem um “pré-conceito” em si querem colocar a culpa em algo que não gostam ou justificar de forma errada circunstâncias terríveis. Ansiosa aqui para ler Columbine, e prestigiar o trabalho de investigação de um jornalista que resolveu sair do explícito e buscar o implícito dos fatos.

  • Diogo

    20 de março de 2020 às 18:33

    Diversas vezes eu fiquei a perguntar o por que da musicar ter essa letra, diversas vezes escutei e fui atras de saber mais sobre ela, pois fiquei apaixonado pela letra, ao entender mais sobre o que ela queria dizer… Passei a procurar mais da sua historia e fiquei deslumbrado com a mesma a melhor musica que fui lançada do decorrente ano. puder ler mais sobre Columbine e entender mais o tamanho e a incrivel historia real que foi onde nas quais pessoas perderam suas vidas e ” pumped up kicks” restrata não só o modo que aconteceu o massacre mas também a maneira que muitas pessoas chegam ao ponto de cometer loucuras apos passarem muitas humiliações, a letra retrata um cenario no miundo ao qual vibemos

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

Columbine + Brinde Exclusivo
R$ 74,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
MEU AMIGO DAHMER
R$ 74,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Manson: A Biografia
R$ 79,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Experiência Dark
  • Experiência Dark
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
FilmesListasNovidades

8 Produções para ficar de olho em outubro na Netflix and Chills 2022

Outubro está entre nós e com ele todas as expectativas para o mês mais trevoso do...

Por DarkSide
Crime SceneGraphic NovelLivros

3 Livros sobre Jeffrey Dahmer publicados pela DarkSide®

A série da Netflix sobre os crimes cometidos por Jeffrey Dahmer dão alguns insights...

Por DarkSide
DarkloveFilmes

Os paralelos entre A Mulher Rei e Ela Seria o Rei

O filme A Mulher Rei estreou em meados de setembro e apresenta Viola Davis como...

Por Dayhara Martins
ArtigoMagicae

A bruxaria é um ato político

“Eu sou bruxa.” Essas três palavrinhas sempre irão causar algum tipo de reação,...

Por DarkSide
FilmesHalloweenNovidades

Halloween está de volta aos cinemas

Uma das grandes certezas do universo do terror é a de que Michael Myers sempre...

Por DarkSide