Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ

Crime SceneLançamento

Entenda a relação entre “Pumped Up Kicks”, do Foster the People, e Columbine

Conheça a história por trás da canção que liderou as paradas de sucesso da Billboard e chegou a ser banida de rádios norte-americanas

Não é todo mundo que analisa a fundo letras das principais músicas das paradas pop e busca entender as inspirações do compositor, mas “Pumped Up Kicks”, do Foster the People, que já esteve entre o top 5 da Billboard Hot 100, deu o que falar na época de seu lançamento em setembro de 2010 e voltou a ser assunto dias após o massacre de Suzano, no estado de São Paulo, em 13 de março deste ano.

A letra da música descreve um tiroteio em uma escola e “Pumped Up Kicks”, do álbum Torches, parte da perspectiva do atirador detalhando seus supostos motivos e plano de ataque. O preocupante refrão diz: “All the other kids with the pumped up kicks / You better run, better run, faster than my bullet” (“Todas as crianças com seus tênis modernos / É melhor correrem, correrem mais rápido que a minha bala”). A faixa chegou a ser banida de alguns locais devido ao seu conteúdo. A música, no entanto, foi amplamente elogiada pelos críticos e recebeu uma indicação ao Grammy Award de Melhor Performance Pop em Grupo.

Banida das rádios norte-americanas

Após o tiroteio na escola primária de Sandy Hook, em dezembro de 2012, “Pumped Up Kicks” foi banida da programação de algumas rádios norte-americanas. Em entrevista à revista Rolling Stone, o empresário Steve Jones, vice-presidente de programação da Newcap Radio, um conglomerado canadense com 82 estações de rádios, afirmou que a decisão é baseada no momento sensível que se estabelece logo após ataques em massa. Na época do tiroteio na escola em Sandy Hook, “Pumped Up Kicks”, do Foster The People, “Janie’s Got a Gun”, do Aerosmith, “Come Out and Play”, do Offspring, “Die Young”, da Ke$ha, e outras músicas com conteúdo violento ou relacionado a armas foram temporariamente retiradas da grade. “É uma linha tênue entre reagir apropriadamente e exagerar grosseiramente”, disse Jones. 

Uma das principais rádios de Los Angeles, a KIIS-FM, disse ao TMZ que a estação havia retirado completamente “Pumped Up Kicks” de sua grade após o tiroteio na escola de Sandy Hook. O fato aconteceu em 2012 e, na época do lançamento do hit, o Foster The People se posicionou sobre a polêmica letra. O vocalista Mark Foster disse que a canção relata a vida de um jovem psicótico e homicida para debater e conscientizar a respeito da violência armada nas escolas e foi em parte inspirada pela tragédia de Columbine.

“Pumped Up Kicks”: a inspiração no massacre de Columbine

O dia 20 de abril de 1999 deixou uma marca para sempre na história norte-americana. O massacre de Columbine pode não ter sido o primeiro tiroteio em massa, mas foi o primeiro da era digital — e o primeiro de larga magnitude, amplamente coberto pela imprensa americana e divulgado nos principais jornais ao redor do mundo. Na linha dos acontecimentos de Newtown, Aurora, Virginia Tech, Christchurch, Suzano e Ohio, tornou-se cada vez mais urgente compreender e confrontar acontecimentos como o de Columbine

Para Mark Foster, que compôs a letra de “Pumped Up Kicks”, a ideia era conscientizar sobre a existência de transtornos mentais na adolescência e alertar sobre a maneira como acontecimentos do tipo estavam sendo vistos. “Eu escrevi ‘Pumped Up Kicks’ quando comecei a ler sobre a tendência crescente da doenças mentais na adolescência. Queria entender a psicologia por trás disso, porque era desconhecido para mim. Estava com medo de ver para onde esse caminho estava nos levando se não começássemos a mudar a forma como estávamos criando a próxima geração”, escreveu em depoimento à CNN.

Columbine é lembrado até os dias de hoje sempre que um episódio horrível e similar ocorre, mas erros factuais e testemunhos duvidosos propagados à época que permaneceram como verdade absoluta para muitos moldaram a visão da imprensa e da sociedade sobre a figura daqueles que puxam o gatilho; é fácil dizer que dois meninos rejeitados pelos atletas e pelas garotas, vítimas de bullying, que vestiam sobretudos pretos e descontavam sua raiva em videogames violentos fizeram o que fizeram por essas razões, mas isso é, de fato, o que aconteceu em Columbine? Dave Cullen foi um dos primeiros repórteres a chegar ao local e passou dez anos escrevendo Columbine, livro que hoje é considerado a obra definitiva sobre o tema. Passar tanto tempo debruçado neste projeto o fez analisar a postura da imprensa na época com um olhar crítico e mergulhar na história das vítimas, dos sobreviventes e de suas famílias, além de traçar um amplo perfil dos atiradores.

LEIA TAMBÉM: Por que entendemos os acontecimentos de Columbine tão errado?

A questão da violência juvenil e do ambiente escolar é um assunto próximo ao Foster the People. Foster, o vocalista, foi vítima de bullying durante o ensino médio, enquanto o baixista da banda, Cubbie Fink, tem um prima que sobreviveu ao massacre de Columbine. “Ela estava na biblioteca quando tudo aconteceu, então fui correndo vê-la no dia seguinte e vivenciei o trauma que a cercava, vi como isso a afetou. Ela é tão próxima quanto uma irmã e, obviamente, isso me afetou profundamente também. Então, ser capaz de ter uma música para criar uma plataforma e falar sobre essas coisas tem sido bom para nós”, disse em entrevista ao canal CNN em 2012.

5 Comentários

  • Helen Joyce

    30 de agosto de 2019 às 20:08

    Muito interessante, ouvi essa música há um tempo atrás e lembrei de massacres como esse, por um momento me senti na mente deles e esse blog me abasteceu com mais informações

  • Erica

    31 de agosto de 2019 às 01:02

    Ótima matéria! Realmente, até os dias de hj, vejo que alguns interpretam erroneamente a letra de “Pumped Up Kicks”. Não é a adoração de um massacre, mas sim, o relato de uma tragédia que, infelizmente, se repetiu e se repete. Como o próprio cantor e compositor disse: é para refletirmos sobre as doenças mentais e tomarmos providências para que isto não ocorra novamente.

  • Maria

    31 de agosto de 2019 às 07:04

    É incrível como as pessoas confundem conscientização através da música com apologia, parece…
    As pessoas tem que entender que não é porque um assunto é polêmico que não deve ser discutido; é exatamente o contrário!
    Muito bom o artigo!

  • Helena Maciel

    31 de agosto de 2019 às 10:14

    Estou muito interessada em ler o livro Columbine, eu sou psicóloga e já dei palestra sobre jogos violentos, já tive que comentar sobre massacres em que a mídia brasileira queria justificar as tomadas de decisões dos assassinos e suicidas como culpa de jogos violentos. É fato que uma doença mental grave é a verdadeira potência para o acometimento de atrocidades entre pessoas, mas é triste como as pessoas quando já tem um “pré-conceito” em si querem colocar a culpa em algo que não gostam ou justificar de forma errada circunstâncias terríveis. Ansiosa aqui para ler Columbine, e prestigiar o trabalho de investigação de um jornalista que resolveu sair do explícito e buscar o implícito dos fatos.

  • Diogo

    20 de março de 2020 às 18:33

    Diversas vezes eu fiquei a perguntar o por que da musicar ter essa letra, diversas vezes escutei e fui atras de saber mais sobre ela, pois fiquei apaixonado pela letra, ao entender mais sobre o que ela queria dizer… Passei a procurar mais da sua historia e fiquei deslumbrado com a mesma a melhor musica que fui lançada do decorrente ano. puder ler mais sobre Columbine e entender mais o tamanho e a incrivel historia real que foi onde nas quais pessoas perderam suas vidas e ” pumped up kicks” restrata não só o modo que aconteceu o massacre mas também a maneira que muitas pessoas chegam ao ponto de cometer loucuras apos passarem muitas humiliações, a letra retrata um cenario no miundo ao qual vibemos

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

Columbine + Brinde Exclusivo
R$ 69,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Manson: A Biografia
R$ 69,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
MEU AMIGO DAHMER
R$ 59,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Experiência Dark
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Lançamento

VHS, de Cesar Bravo, continua agora em DVD: Devoção Verdadeira a D.

“O Homem nada sabe; mas é chamado a tudo conhecer.”— Hermes Trismegisto...

Por DarkSide
Fábulas DarkListasMúsica

6 Músicas e videoclipes inspirados em O Mágico de Oz

A história de O Mágico de Oz se mantém presente no coração das pessoas através de...

Por DarkSide
ListasPromoção

Combo Dark Exorcismo: 3 Livros, 3 Filmes e 3 Músicas que irão te possuir

Existe algo sobre possessão demoníaca que gela profundamente a nossa espinha. Este...

Por DarkSide
Lançamento

Audrey Rose retorna em Rastro de Sangue: O Grande Houdini

Audrey Rose Wadsworth está pronta para mergulhar em mais um mistério. A jovem...

Por DarkSide
DarkloveLivros

Caitlin Doughty: “Morte é ciência e história, arte e literatura”

Quando eu morrer, meus gatos vão comer os meus olhos? Esta e outras perguntas...

Por DarkSide