Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


Graphic NovelListas

As florestas mais mágicas do Japão + hábitos relacionados a elas

Embarque nessa viagem

Os fãs dos títulos japoneses lançados pela Caveira já se depararam com florestas diversas vezes, mas o mangá A Menina do Outro Lado as traz de uma forma realmente mágica. Na obra, que já conta com 6 volumes publicados pela DarkSide® Books, acompanhamos Shiva, uma menininha que foi acolhida por uma estranha criatura, meio animal e meio humana, em um país dividido entre pessoas normais e seres amaldiçoados. 

Sensei, como é chamada a criatura, não pode ser tocado e vive fora da cidade, fazendo da floresta seu lar. Por conta da hostilidade e medo que Sensei enfrenta por parte dos habitantes das cidades, ele proíbe Shiva de andar sozinha, mas a menininha insiste em desobedecê-lo e sai para explorar, deparando-se com as maravilhas do local.

LEIA TAMBÉM: LANÇAMENTO: A MENINA DO OUTRO LADO: VOLUME 6, DE NAGABE

Para entrar no clima dessa aventura, a Caveira convida todos os DarkSiders a conhecerem 6 florestas japonesas que transmitem magia aos olhos de quem as vê e que levam a imaginar esses seres fantásticos vivendo nelas.

A importância das florestas

O Japão é um dos países mais densamente povoados do mundo e, mesmo assim, as florestas cobrem cerca de 70% do seu território. A diversidade de clima do país contribui para a riqueza e abundância de sua flora e fauna, com cores que mudam de acordo com a estação do ano. 

Os japoneses têm muito respeito pelo local que habitam e isso se estende para as florestas, que são vistas como locais sagrados e abrigam um sem-número de templos. Há séculos as pessoas vêem as plantas e árvores como símbolos e habitações de espíritos divinos, o que as levou a venerar árvores como cedro, cipreste e pinheiro. Até os dias atuais é comum decorar as entradas das casas com ramos de pinheiro no Ano Novo, como uma forma de dar boas vindas e atrair a proteção dos deuses.

Mesmo em grandes centros urbanos é possível observar a reverência pela natureza como um todo. A árvore símbolo do Japão é a sakura (cerejeira) e ela não apenas é a mais importante do país como fez surgir diversas celebrações em torno de si e de seu desabrochar na primavera. Esse acontecimento é visto como uma oportunidade para a realização do hanami (festas de observação da flor), o que leva muitas escolas e empresas a criar eventos especiais durante essa estação. Os boletins de previsão do tempo na televisão e nos jornais transmitem informações atualizadas e praticamente em tempo real sobre o desabrochar das flores que se inicia em Okinawa e termina ao norte, em Hokkaido.

Créditos: CN Traveler

Shinrin-yoku

Outro ponto que mostra a importância dada às florestas é o Shinrin-yoku, que é, literalmente, um “banho de floresta”. A prática visa deixar as pessoas em contato com a natureza, colaborando com o bem estar e relaxamento dos indivíduos. Seus efeitos físicos e psicológicos vêm sendo estudados desde os anos 80 no Japão, mas em 2005 ganhou respaldo científico e diversas pesquisas ganharam caráter acadêmico desde então.

Créditos: Go Magazine

Uma sessão de Shinrin-yoku envolve caminhar lentamente por uma floresta enquanto os sentidos são preenchidos pela sua atmosfera, o que leva a pessoa a busca cada vez mais coisas novas e que acabam passando despercebidas no dia-a-dia. Essa prática tem como principais resultados a diminuição de cortisol (hormônio causador do stress) e a redução da pressão arterial. Ela também melhora a concentração, aumenta a imunidade e fortalece o metabolismo.

1. Aokigahara

Aokigahara, também conhecida como Mar de Árvores, é a floresta mais famosa do Japão. Localizada na base do Monte Fuji, a floresta tem cerca de 38 km² e contém diversas rochas vulcânicas (que vieram da última erupção do Fuji, em 864) e cavernas de gelo. Por conta da proximidade das árvores (que acabam por bloquear o vento) e ausência quase total de vida animal, Aokigahara é estranhamente silenciosa, o que gerou diversas lendas sobre demônios, espíritos malignos e fantasmas. Apesar das lendas, é um destino turístico bastante popular.

Créditos: Broken Image

Dentre as inúmeras trilhas oficiais que levam a várias atrações turísticas, as mais populares são a Caverna de Gelo Narusawa, a Caverna do Vento Fugaku e a Caverna do Morcego do Lago Saiko — três das maiores cavernas de lava perto do Monte Fuji. 

Muitas pessoas desesperadas procuram a floresta e, ao longo do ano, diversos voluntários deixam mensagens de apoio, carinho e superação visando o bem estar de qualquer pessoa que esteja passando por momentos difíceis. A maior parte dessas mensagens e marcações feitas nas árvores se encontram nos primeiros quilômetros das trilhas e contém textos em japonês e inglês.

2. Yakushima

A ilha de Yakushima faz parte do arquipélago das Ilhas Ōsumi e pertence à província de Kagoshima, localizada no extremo sul do Japão. Com 504,9 km², a ilha abriga uma extensa e exuberante floresta que vem sendo protegida de forma efetiva desde a década de 1960. Ela também é formada por diversos bosques de cedro que dão nome à ilha (Yaku sugi, cedro japonês).

Créditos: Tour Travel Hotels

Em 1980, uma área de aproximadamente 190 km² foi designada pela UNESCO como parte do Programa Homem e Biosfera (MaB – Man and the Biosphere), que  visa estabelecer uma base científica para a melhoria das relações entre as pessoas e seu meio ambiente. O perímetro remanescente de floresta antiga quente/temperada de Yakushima é considerado  Patrimônio Mundial natural desde 1993. 

Jōmon Sugi

Yakushima também abriga o Jōmon Sugi, um cedro japonês com idade estimada entre 2.170 e 7.200 anos. Considerada a árvore mais antiga da ilha, sua descoberta em 1968 deu início a diversas ações para proteger as florestas de Yakushima e também foi responsável pelo início da indústria turística da ilha, que representa mais da metade de sua economia atualmente.

Créditos: Tourist in Japan

Em livro publicado em 2002, o arborista Thomas Pakenham descreveu Jōmon Sugi como “uma sombria árvore titã, levantando-se do chão esponjoso mais como rocha do que madeira, com seus vastos braços musculosos estendidos acima do emaranhado de cedros jovens e cânfora”. Com 25,3 m de altura e uma circunferência de 16,4 m, Jōmon Sugi é a maior conífera do Japão.

Inspiração de Hayao Miyazaki

De tão mágica, Yakushima inspirou o cenário da animação Princesa Mononoke, do Studio Ghibli. O diretor de arte, Kazuo Oga, passou um período na ilha criando os rascunhos do desenho.

Créditos: Studio Ghibli

LEIA TAMBÉM: MATERIAL EXTRA DE A MENINA DO OUTRO LADO É LANÇADO NO JAPÃO

3. Kamikōchi

Localizado nas montanhas de Hida, na região oeste da província de Nagano, o vale é considerado um dos Bens Culturais Nacionais do Japão. Com aproximadamente 18 km de extensão e com elevação média de 1.400 m, a região é um destino popular para os amantes de caminhada.

Créditos: Juliana Kobayashi

No centro do vale, suspensa sobre o Rio Azusa, fica localizada a  Kappabashi (Ponte Kappa), outra atração turística bastante popular. De lá partem trilhas de caminhada que levam em direção aos cumes das montanhas circundantes. O mascote da região é a Kappa, uma criatura lendária que vive na água.

As estações favoritas para a visita são o verão e o outono, com picos de turistas que buscam observar a mudança de cores na floresta. Não são permitidos carros particulares dentro do vale.

4. Koajiro No Mori

A Floresta Koajiro-no-Mori está localizada na Península de Miura e faz parte da província de Kanagawa. Ela é formada em grande parte por pântanos e lodaçal, mas isso não impede que atraia um grande número de visitantes. Pelo bioma diferenciado, a variedade de criaturas encontradas inclui caranguejos de garra vermelha (Chiromantes haematocheir), que podem sobreviver longe da água. 

Créditos: Quercus acuta

Outras criaturas que habitam a floresta são os vagalumes e existem até programações noturnas para quem queira observá-los, principalmente entre os meses de maio e junho. 

Créditos: Kanagawa Tourism

Muitas áreas ainda são mantidas intocadas na Floresta Koajiro-no-Mori, e o seu acesso é proibido por conta do perigo que as criaturas podem representar ao público.

5. Floresta de Bambu de Sagano

A oeste de Kyoto fica o distrito Arashiyama, onde está localizada a Floresta de Bambu de Sagano, formado por um bosque com cerca de 16 km² dessa espécie de árvore. Além de atrair os olhares de muitos visitantes, o som diferenciado que o vento faz ao passar pelos bambus encanta os ouvidos de todos, a ponto do Ministério do Meio Ambiente incluir a localidade em sua lista das “100 paisagens sonoras do Japão” — uma seleção especial de ruídos do dia-a-dia destinados a incentivar os moradores locais a parar e apreciar a música da natureza.

Créditos: CNN Travel

Outra atração da região é o Templo Tenryu-ji, considerado Patrimônio Mundial da UNESCO, e um dos cinco Kyoto-gozan — nome dado aos principais templos de Kyoto. O local escolhido para a construção do templo não foi à toa: No Japão, diversos santuários xintoístas e templos budistas ficam próximos de bosques de bambu, pois acredita-se que eles são instrumentos capazes de afastar o mal. O bambu também é visto como um símbolo de força.

Créditos: Discover Kyoto

O templo foi construído no século XIV e possui um dos mais lindos jardins zen do Japão. Hoje em dia ele é sede da Escola Rinzai de Zen Budismo, fundada pelo monge Myōan Eisai, após seu retorno da China em 1191.

Floresta de Kimonos

Outra floresta localizada no distrito Arashiyama é a Floresta de Kimonos: composta por cerca de 600 pilares, essa é uma das atrações turísticas mais curiosas da região.

Cada pilar tem 2 metros de altura e exibe uma grande variedade de tecidos com cores e padrões que remetem às vestes japonesas tradicionais. Os tecidos utilizados foram tingidos com a tradicional técnica de Kyo-Yuzen, utilizada para criar o kimono Yuzen. À noite, os pilares ficam iluminados, conferindo magia à atmosfera.

6. Floresta Experimental de Miyazaki

Na província de Miyazaki, no sul do Japão, uma floresta que cresce em círculos perfeitos atraiu bastante atenção do mundo alguns anos atrás. O local, que lembra os misteriosos “círculos nas plantações”, despertou muita curiosidade após a publicação de fotos na internet.

A floresta é, na verdade, o resultado de um projeto de 1973 feito pelo governo japonês. O experimento visava investigar o crescimento e espaçamento entre árvores e foi criado a partir do plantio de mudas com espaçamento de 10 graus para a formação de 10 círculos concêntricos. Originalmente o projeto duraria apenas 5 anos, mas os resultados alcançados adiaram os planos de corte da floresta.

LEIA TAMBÉM: CULTURA CELTA E EUROPA MEDIEVAL: AS INFLUÊNCIAS DE A MENINA DO OUTRO LADO

Sobre DarkSide

Avatar photoEles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

1 Comentário

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

A Menina do Outro Lado: Volume 6
R$ 54,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Experiência Dark
  • Experiência Dark
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ListasLivros

Dicas de livros para presentear nesse fim de ano

O período de festas e confraternizações está chegando, e com ele aquela eterna...

Por DarkSide
DarkloveListasLivros

10 Livros com lições valiosas da marca DarkLove

Uma narrativa nunca se limita ao universo de seus personagens. Ela ressoa nas...

Por DarkSide
CuriosidadesGraphic NovelListas

Vampiros made in Brazil: Conheça 7 personagens

Quando se fala em vampiros, geralmente lembramos da Romênia e seu Conde Drácula ou...

Por DarkSide
Graphic NovelListas

10 Histórias em quadrinhos que vão te surpreender

Quadrinhos podem até ter sido uma das primeiras maneiras de prender a leitura das...

Por DarkSide
ListasLivrosMacabra

10 Livros macabros que você precisa conhecer

Até os DarkSiders mais trevosos já devem ter passado por isso: a sua leitura está...

Por DarkSide