Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


Cine Book ClubCuriosidadesFilmes

20 Anos de Donnie Darko: Como o filme se mantém enigmático até hoje

Trama de Richard Kelly ainda provoca mais perguntas do que respostas

Se alguém lhe perguntasse sobre o que é Donnie Darko, o que você responderia? Um adolescente sonâmbulo? Um filme B sobre o caos? Um terror em que o monstro é um coelho gigante? Um drama sobre conflitos de gerações? Uma ficção científica sobre viagem no tempo? Apesar de todas as opções estarem certas, a pergunta ainda não teria sido completamente respondida. 

LEIA TAMBÉM: 13 CURIOSIDADES SURPREENDENTES SOBRE DONNIE DARKO

Definir o gênero cinematográfico de Donnie Darko já é um desafio por si só. Drama adolescente, ficção científica e terror psicológico são todas tentativas válidas, mas que ainda não definem onde o filme se encaixa. E para seu criador Richard Kelly ele nem precisa se encaixar em lugar algum. 

Créditos: © 2001 Newmarket Films

Lançamento e recepção

Com todas as qualidades de um filme independente filmado em 28 dias e que só conseguiu sair do papel graças à influência e ousadia da atriz e produtora Drew Barrymore, Donnie Darko estreou para o mundo da forma que mais fazia sentido: no Festival de Sundance, conhecido do circuito B de Hollywood. Pode-se dizer que Sundance é a casa dos filmes experimentais demais para o grande circuito.

Mas o caminho para as telonas não foi tão simples. Com a cena de uma turbina de avião caindo no quarto de Donnie (Jake Gyllenhaal), a bizarrice do filme esbarraria em acontecimentos inacreditáveis do mundo real: o atentado de Onze de Setembro, que ocorreu pouco menos de oito meses após o début

A produção, que já enfrentava alguns narizes torcidos dos distribuidores para estreia nos cinemas em vez de ir direto para DVD, parecia ter um destino tão sombrio quanto as aparições do coelhão Frank. O trailer com a queda do avião nem chegou a ser veiculado, prejudicando a estreia nas telonas.

Complexo e azarado, o filme não fez muito sucesso nas bilheterias. Para se ter uma ideia, o longa só veio oficialmente para terras brasileiras em setembro de 2003, mais de dois anos após sua estreia em Sundance

Porém, assim como muitos filmes cult dos anos 1980 e 1990, Donnie Darko encontrou seu público no DVD. Com a ajuda da internet, que fervilhava com fóruns e teorias conspiratórias no início dos anos 2000, conseguiu pautar a conversa com seus mistérios – que permanecem sem solução duas décadas depois.

Créditos: © 2001 Newmarket Films

As diferentes camadas e enigmas de Donnie Darko

“Do que se trata o filme Donnie Darko? Não faço ideia, pelo menos não conscientemente.” A citação é de ninguém menos do que Jake Gyllenhaal, o próprio Donnie, em seu prefácio do livro do roteiro do filme. Para ele, a ausência de uma resposta simples é justamente sobre o que o filme e a vida em si representam.

LEIA TAMBÉM: DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS ENTRE LIVROS E FILMES

Para um adolescente, o longa pode tratar sobre aquele momento da sua vida em que você se dá conta de que a sua criação tem falhas e você precisa lidar com isso. É sobre transgredir aquilo em que você acreditava na infância, desafiar o status quo. Neste sentido, Donnie Darko é sobre uma história de amadurecimento.

Pode ser também um drama que lida com as diferenças geracionais e a sociedade idealizada dos anos 1980. Os pais conservadores, os adolescentes rebeldes. Assim como em Veludo Azul de David Lynch e Beleza Americana de Sam Mendes, Richard Kelly lida com o tédio suburbano, ou até mesmo com a sua farsa.

O surrealismo do longa ainda pode mergulhar numa espécie de terror psicológico, sobre um personagem que passa o filme inteiro tentando responder à pergunta fixada na geladeira, “Onde está Donnie?”, e também suas variações: como, quando, quem é Donnie? Insônia, esquizofrenia e um homem vestido de coelho com tendências apocalípticas fecham a composição de um complexo thriller.

Enigmático até mesmo para o seu criador, Donnie Darko passou os últimos vinte anos não apenas nos confundindo quanto aos eventos do filme, mas provocando questionamentos que a nossa vã filosofia ainda não se atreve a responder. E é aqui que está o brilhantismo da obra de Richard Kelly: a cada nova assistida aprendemos algo novo: sobre Donnie, sobre os eventos do filme, sobre a sociedade e sobre nós mesmos. Afinal, por que você está vestindo essa fantasia ridícula de humano?

LEIA TAMBÉM: DONNIE DARKO E A GENIALIDADE DE RICHARD KELLY

Créditos: © 2001 Newmarket Films

Sobre DarkSide

Eles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

Donnie Darko
R$ 54,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Menina Má
R$ 54,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Candyman
R$ 49,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Experiência Dark
  • Experiência Dark
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Cine Book ClubFilmesListas

6 Máscaras de filmes de terror e suas inspirações reais

Desde os desenhos do Scooby-Doo nos acostumamos a vilões mascarados. Há certo...

Por DarkSide
Cine Book ClubPerfilSéries

Dissecando Vecna

Desde que os primeiros sete episódios da quarta temporada de Stranger Things ...

Por DarkSide
FilmesMagicae

Disney+ traz as irmãs Sanderson de volta a Salem

Em 1693, na cidade de Salem, um trio de bruxas é condenado à morte após perseguir...

Por DarkSide
DarksideVários

Ed Wood, ícone do movimento queer, está mais relevante do que nunca

Os anos 1980 viram surgir o movimento queer que, juntamente com diversos grupos de...

Por DarkSide
DarkloveLançamento

Lançamento: A História que Nunca Contei, de Kimberly Brubaker Bradley

Ligadas pelo amor e pelo trauma, Della e Suki sempre estiveram juntas nos momentos mais...

Por DarkSide