Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


CuriosidadesDarklove

Conheça a mansão que inspirou Manderlay, de Rebecca

Propriedade assume vida própria no suspense de Daphne Du Maurier

19/05/2023

Xanadu, a Mansão Belasco, Wuthering Heights… várias casas da ficção parecem ser muito mais do que um imóvel. Elas ganham vida e se tornam personagens nas narrativas conduzidas por seus autores. Esse é o caso de Manderley, a suntuosa mansão que mantém viva a memória de uma mulher em seus cômodos, móveis e objetos.

LEIA TAMBÉM: COMO SABER SE A SUA CASA É MAL-ASSOMBRADA?

Em Rebecca: A Mulher Inesquecível, a narradora é assombrada pela personagem que dá nome ao romance de Daphne Du Maurier, mesmo após sua morte. É só perguntar para qualquer um dos empregados, principalmente para a governanta, a sra. Danvers: Rebecca era perfeita, dava as melhores festas, iniciava as conversas mais interessantes e, é claro, era dona de uma beleza incomparável. Intoxicada pelas próprias fantasias e temores, a narradora precisa desvendar o passado para conquistar seu lugar em Manderley.

A casa foi inspirada em uma propriedade verdadeira

Com uma presença tão marcante na narrativa, não é de se espantar que a mansão dos de Winter tenha surgido a partir de um local que a autora de Rebecca conhecia muito bem. Manderley foi inspirada em Menabilly, a casa de Daphne Du Maurier na Cornualha.

A própria maneira com que a escritora foi morar na mansão parece ter saído de algum romance. Durante uma visita à cidade de Fowey em 1926, ela se deparou com a propriedade enquanto caminhava pela floresta, encontrando-a em meio a vistosas árvores com todo o esplendor do caminho que levava até ela — tal qual Manderley.

menabilly
Hans Wild / The LIFE Picture Collection via Getty Images

Ela logo se tornou obcecada pela propriedade esquecida e foi consumida pelo desejo de morar lá e reformar o imóvel. Foi isso o que inspirou a atmosfera assombrosa de Manderley, que exerce uma força opressora sobre a segunda sra. de Winter da mesma maneira que a casa na floresta exerceu sobre Du Maurier.

Daphne Du Maurier só se mudou para lá depois de publicar Rebecca

Apesar de ter se deparado com a mansão pela primeira vez em 1926, levou mais de uma década para que a autora realizasse o seu sonho de se mudar para lá — o que ocorreu em 1943, depois da publicação de Rebecca: A Mulher Inesquecível e de seu romance ter sido adaptado para o cinema por Alfred Hitchcock.

LEIA TAMBÉM: REBECCA: 11 CURIOSIDADES SOBRE O FILME DE ALFRED HITCHCOCK

Du Maurier pesquisou bastante sobre a propriedade, e descobriu que ela havia sido construída pela família Rashleigh, que ainda era a proprietária naquela época. Em 1943 ela os convenceu a deixá-la alugar o imóvel, para onde se mudou com o marido e os filhos e residiu por 26 anos. Ela só precisou sair de lá quando um herdeiro dos Rashleigh decidiu se mudar para a mansão da família.

daphne du maurier com os filhos em menabilly
J. Wilds / Keystone Features / Getty Images

Uma propriedade imortalizada pela escritora

Construída em 1580 por Jonathan Rashleigh, Menabilly foi ampliada e reformada inúmeras vezes através de gerações da família. Ao ver registros fotográficos do imóvel, é bem fácil de entender o fascínio de Daphne Du Maurier pela mansão. Com seus jardins bem desenvolvidos, a longa e imponente estrada de acesso e o próprio visual da casa, ela se destaca na paisagem com toda a sua magnitude. 

Além de sua obsessão pelo imóvel ter dado origem a Manderley, a escritora buscou inspiração na propriedade enquanto morou lá. Foi lá que ela escreveu O General do Rei, ambientado na Guerra Civil Inglesa, após descobrir um esqueleto e um par de calçados de cavalaria em um compartimento emparedado no porão. Aparentemente, a fonte de inspiração de Manderley consegue ser ainda mais sinistra do que a história da autora.

LEIA TAMBÉM: COMO ESTÁ A CASA DE AMITYVILLE NOS DIAS DE HOJE

Sobre DarkSide

Avatar photoEles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

Rebecca + Brinde Exclusivo
R$ 99,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Ela Não Pode Confiar

    Wicked
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
FilmesFirestar Videolocadora

Deadly Blessing: Wes Craven, pesadelos e Sharon Stone

Alguns mestres supremos do terror se tornaram tão fortemente associados a algumas de...

Por Cesar Bravo
FilmesNovidades

Blumhouse fará um novo A Bruxa de Blair com a Lionsgate

Jason Blum vai reviver A Bruxa de Blair — e se você não captou o que significa essa...

Por DarkSide
Crime SceneLançamento

Lançamento: Lady Killers Profile: Jane Toppan, por Harold Schechter

Em 1891, Jane Toppan jurou cuidar e proteger em sua profissão como enfermeira...

Por DarkSide
Crime SceneNovidades

O.J. Simpson morre aos 76 anos

Aos 76 anos de idade, O.J. Simpson faleceu em decorrência de um câncer nessa...

Por DarkSide
LançamentoWish

Campanha no Catarse: Alice: Edição Pesadelo

O clássico onírico de uma menina que cai num buraco e se questiona sobre a vida, a...

Por DarkSide