Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


Graphic NovelLançamento

Ed Gein, o açougueiro de Plainfield

Criminoso deu origem a diversos personagens de filmes de horror

O desaparecimento da dona de uma loja de ferragens em Plainfield, Wisconsin, fez com que a polícia encontrasse um dos mais intrigantes assassinos dos Estados Unidos. Ed Gein não fez um número tão grande de vítimas, mas os crimes cometidos por ele inspiraram pelo menos 3 personagens famosos: Norman Bates (Psicose), Leatherface (O Massacre da Serra Elétrica) e Buffalo Bill (O Silêncio dos Inocentes).

Edward Theodore Gein, mais conhecido como Ed Gein, nasceu em 27 de Agosto de 1906, em La Crosse, Wisconsin e, ainda na infância, mudou-se com a família para um fazenda isolada, a cerca de 190 km da sua cidade natal. Gein só deixava a casa para ir à escola e dedicava a maior parte do seu tempo aos afazeres domésticos. Sua família era formada pelo pai, George Philip Gein, sua mãe, Augusta Wilhelmine, e o irmão mais velho, Henry George Gein.

Créditos: Aventuras na História

O casamento de seus pais não era feliz, com seu pai mudando de emprego com frequência e se entregando à bebida — o que Augusta condenava. Apesar disso, eles continuaram juntos até a morte de George, em 1940. Foi justamente esse acontecimento que fez com que Ed e seu irmão saíssem um pouco de seu isolamento e passassem a fazer pequenos serviços na vizinhança para lidar com as contas da casa.

A mãe

Augusta era uma religiosa fervorosa e pregava para seus filhos que o mundo era um lugar corrompido (por isso ela não deixava que eles se aproximassem de ninguém, principalmente de mulheres), que todas as mulheres eram naturalmente prostitutas (com exceção dela mesma) e que a bebida representava um mal ainda pior que deveria ser combatido.

LEIA TAMBÉM: LANÇAMENTO: ED GEIN, DE HAROLD SCHECHTER E ERIC POWELL

Créditos: NZ Herald

Outro fato importante a se destacar é que Augusta reservava tempo todos os dias para ler trechos da Bíblia para seus filhos, principalmente o Antigo Testamento, dando preferência para as partes sobre mortes e castigos divinos.

Os irmãos eram vistos como pessoas confiáveis e honestas pela vizinhança, com Ed aceitando empregos como babá de algumas crianças. Na mesma época, Henry começou a namorar uma mulher divorciada e esse contato com ela fez com que ele começasse a rejeitar as ideias e pensamentos de sua própria mãe, levando-o a compartilhá-los com Ed.

A morte do irmão

Em 1944, enquanto os irmãos queimavam parte da vegetação da propriedade, o fogo ganhou muita força e atraiu os bombeiros que ajudaram a controlá-lo. Os irmãos haviam se separado durante o incêndio e Ed não conseguia encontrar Henry, que foi dado como desaparecido.

A polícia fez buscas na fazenda e encontrou o corpo de Henry deitado de bruços, aparentemente morto há algum tempo. A causa da morte foi dada como problema cardíaco, já que ele não apresentava queimaduras ou lesões. Apesar do acontecimento estranho, não foi feita uma investigação mais profunda e, mais tarde, foi levantada a hipótese de Ed ter matado o irmão — fazendo referência a Caim e Abel.

A morte de seu irmão fez com que Ed se tornasse ainda mais próximo da mãe, que já era superprotetora por natureza. Isso também fez com que ele se isolasse ainda mais do convívio social, fato piorado por um acidente vascular cerebral que Augusta teve pouco tempo após a morte de Henry. 

LEIA TAMBÉM: TOBE HOOPER, O PAI DO SLASHER + 6 OBRAS PARA CONHECER O CINEASTA

Casa de Ed Gein | Créditos: The Hanneman Archive

Em 1945, em uma visita a um vizinho chamado Smith, Augusta viu uma mulher — que não era casada com Smith — no local, mas alegou que, por não ser casada, não teria direito de estar na casa dele. Aos berros, ela se referia à mulher como “A prostituta de Smith”. Esse fato foi relatado por Ed mais tarde e mostra como sua mãe julgava outras mulheres e seu desprezo por elas.

Pouco tempo depois, Augusta faleceu e deixou seu filho desolado, o que levou Ed a ter um comportamento cada vez mais estranho (mas sem que seus vizinhos suspeitassem de nada). Nessa época ele passou a se interessar por revistas sobre experimentos nazistas, anatomia feminina e cultos à morte.

Visitas ao cemitério

Com a desculpa de estar fazendo experimentos científicos, Ed convenceu seu amigo Gus a visitar cemitérios, violar túmulos de mulheres recém-falecidas e roubar seus corpos, levando-os para a fazenda. Gus não suspeitava de suas reais intenções mas, na verdade, Ed guardava “souvenires” dessas mulheres e passou a acumular pedaços de pele, órgãos e partes de corpos em sua casa.

O que todas essas mulheres tinham em comum era a semelhança com a mãe de Ed, Augusta. 

Os vizinhos passaram a notar que a aparência de Ed se deteriorava, com ele sempre sujo e cheirando mal. Também passaram a notar que a fazenda tinha um cheiro ruim, mas nenhuma investigação foi realizada.

Com a internação de Gus em uma asilo para idosos, Ed passou a fazer outros planos e começou a colocá-los em prática. Esses planos envolviam não apenas pegar os corpos de mulheres recém-falecidas como também assassiná-las.

As vítimas

Em Dezembro de 1954, Mary Hogan, que administrava uma taberna, desapareceu e, no seu local de trabalho, foi encontrado sangue, o que sugeria um crime. Ed a havia assassinado um dia antes e levado seu corpo para a fazenda. Chegando lá, ele tirou toda a pele de Hogan e utilizou partes do seu corpo para confeccionar objetos domésticos.

Em Novembro de 1957, Bernice Worden, dona de uma loja de ferragens e mãe do vice-xerife local, desapareceu. Frank Worden e o xerife Schley começaram a investigar o caso e encontraram marcas de sangue no chão da loja. Ao vasculhar o local, também encontraram o último recibo emitido por Bernice: um galão de anticongelante para Ed Gein. Isso foi o suficiente para que eles saíssem em busca do suspeito.

Ed foi encontrado em uma mercearia e, ao ser questionado pela polícia, acabou confessando, de forma não-intencional, que havia matado Worden. Ao chegarem à casa de Ed, os policiais se depararam com uma cena macabra: o corpo de Worden havia sido decapitado e estava pendurado pelos pés com uma barra nos tornozelos e as mãos amarradas. Esse foi só o começo do pesadelo que viria a ser descoberto na casa.

LEIA TAMBÉM: DE HEIDNIK A BUFFALO BILL: A INFLUÊNCIA DO ASSASSINO EM O SILÊNCIO DOS INOCENTES

A casa

Ed não cuidava da casa e ela estava uma confusão de sujeira, poeira, ferramentas e partes de corpos conservados. Apenas o quarto de Augusta estava limpo e, segundo relatos, encontrava-se impecável.

Créditos: Oxygen

Os conhecimentos de Ed sobre a preservação de couro estavam sendo aplicados para conservar pele e partes dos corpos de suas vítimas. Alguns ossos e crânios foram transformados em utensílios domésticos, cadeiras foram forradas com pele humana e outras partes de corpos estavam sendo usadas como objetos do dia-a-dia (como um cinto e uma calça feitos de pele). A cena macabra foi tão chocante que, na hora que entraram na casa, um dos policiais precisou correr para fora e vomitar.

Após serem fotografados por peritos, os objetos foram destruídos. Circulam pela internet algumas imagens de objetos atribuídos a Ed, mas apenas um deles teve sua origem comprovada: um caldeirão metálico.

Créditos: Pientka Auction Service

As histórias sobre Ed começaram a se espalhar e os vizinhos passaram a se dirigir para a casa na tentativa de espiar os horrores pela janela. Ed foi preso e levado a julgamento em Novembro de 1957.

Julgamentos e sentenças

O primeiro julgamento de Ed terminou em 21 de Novembro de 1957 e ele se declarou inocente por insanidade. Ele foi diagnosticado com esquizofrenia e, por isso, não poderia ser julgado por seus atos, sendo levado para o Hospital Estadual Central para Criminosos Insanos, onde permaneceu por 11 anos.

Em 7 de Novembro de 1968, Ed foi novamente levado a julgamento após a equipe do hospital considerá-lo mentalmente estável. Sob juramento, um psiquiatra falou a favor de Ed dizendo que o assassinato de Worden podia não ter sido intencional. Ed alegou que a arma disparou enquanto ele a manuseava na loja de ferragens e que ele não se lembrava o que havia acontecido depois.

Créditos: A&E TV

Em 14 de Novembro de 1968, Ed foi considerado culpado pelo juiz Robert H. Gollmar mas, após um 2º julgamento — que contou com médicos tanto na defesa quanto na acusação —, o juiz o considerou “inocente por motivo de insanidade” e ele foi levado novamente para o hospital psiquiátrico, onde permaneceu até sua morte, em 26 de Julho de 1984.

No hospital, ele era considerado um paciente modelo pelos funcionários, mas as mulheres que lá trabalhavam diziam não se sentir confortáveis perto dele pois ele as olhava fixamente e de forma bastante incômoda.

Ed Gein na DarkSide®

Um psicopata brutal. Uma série de assassinatos macabros. E um true crime tão perturbador que esgarçou os limites da realidade para ser eternizado na ficção de horror. Ed Gein, a graphic novel escrita por Harold Schechter — autor de Anatomia do Mal — e ilustrada pelo quadrinista Eric Powell é uma exploração profunda das origens do assassino necrófilo que assombrou os sonhos da América dos anos 1950.

O roteiro de Schechter, especialista em crimes históricos e em perfis de assassinos seriais, e a arte de Powell juntam pesquisa e narrativa de quadrinhos com maestria para produzir uma biografia sobre Ed Gein, um psicopata real que, por caminhos improváveis, ganhou uma sinistra relevância cultural na ficção do século XX.

Sobre DarkSide

Eles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

1 Comentário

  • Ernesto

    4 de abril de 2022 às 18:19

    Pagina irada valeu galera!!!!!

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

Ed Gein + Brinde Exclusivo
R$ 84,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Psicose - Limited Edition + Brinde Exclusivo
R$ 59,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Experiência Dark
  • Experiência Dark
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Crime SceneFilmes

Novo filme sobre o caso Richthofen começa a ser planejado

Depois do sucesso alcançado pelos longas A Menina que Matou os Pais e O Menino que...

Por DarkSide
FilmesListas

Entenda a ordem cronológica de toda a saga Star Wars [ATUALIZADO]

Com a chegada do Disney+ no Brasil contendo todos os filmes e derivados de Star Wars,...

Por DarkSide
Cine Book ClubSéries

A 4ª temporada de Stranger Things já está entre nós

Chegou o grande dia: Após 3 anos de espera, os primeiros episódios da 4ª temporada...

Por DarkSide
FilmesListasPerfil

Ray Liotta, para sempre um bom companheiro

Em 1990, a adaptação de Os Bons Companheiros dirigida por Martin Scorsese lançou o...

Por DarkSide
Graphic NovelListas

As florestas mais mágicas do Japão + hábitos relacionados a elas

Os fãs dos títulos japoneses lançados pela Caveira já se depararam com florestas...

Por DarkSide