Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


Crime SceneFilmesLançamento

De Heidnik a Buffalo Bill: A influência do assassino em O Silêncio dos Inocentes

Ken Englade registra os atos do criminoso em Heidnik Profile: Cordeiro Assassino

Tortura, abuso sexual e morte. Crimes incompatíveis com a conduta de um homem que se dizia religioso. Só que os objetivos de Gary Heidnik quando fundou sua seita, chamada de Igreja Unida dos Ministros de Deus, eram muito mais sórdidos e narcisistas do que qualquer pessoa poderia suspeitar, e os horrores provocados por ele inspiraram um dos maiores vencedores do Oscar® de todos os tempos.

LEIA TAMBÉM: LANÇAMENTO: HEIDNIK PROFILE: CORDEIRO ASSASSINO, DE KEN ENGLADE

No livro Heidnik Profile: Cordeiro Assassino, o jornalista e escritor Ken Englade narra a história verdadeira do militar aposentado que se utilizou de uma seita para sequestrar, violentar e torturar mulheres jovens. Os crimes de Heidnik serviram de inspiração para alguns aspectos de O Silêncio dos Inocentes, livro de Thomas Harris que inspirou a premiada produção estrelada por Anthony Hopkins e Jodie Foster.

As semelhanças e diferenças entre Gary Heidnik e Buffalo Bill

THE SILENCE OF THE LAMBS, Ted Levine, 1991. ©Orion Pictures Corp/courtesy Everett Collection

Embora o principal assassino associado ao filme seja Hannibal Lecter, ele já começa a trama detrás das grades. Seu papel é auxiliar a agente do FBI Clarice Starling a capturar um outro assassino, chamado de Buffalo Bill pela imprensa. Enquanto Clarice tenta localizá-lo antes que ele acabe com a vida de sua mais recente vítima, o público conhece o horripilante modus operandi do serial killer.

Buffalo Bill atrai Catherine Martin, filha de um senador, e a sequestra. Ao levá-la para casa ele a mantém presa dentro de um poço – o mesmo tipo de cativeiro onde Gary Heidnik prendia suas vítimas, duas das quais chegaram a falecer no local.

Créditos: © 1991 Twentieth Century Fox

O assassino de O Silêncio dos Inocentes não se identificava com o próprio corpo e queria se submeter à cirurgia de mudança de sexo. No entanto, por causa de problemas psicológicos detectados no processo, ele não era um candidato ao procedimento. Como resposta, ele decidiu matar mulheres e “se vestir” com suas peles.

Embora Thomas Harris nunca tenha oficialmente declarado sua inspiração em Heidnik, sabe-se que a personalidade de Buffalo Bill reúne atributos de diversos assassinos reais. A escolha do cativeiro, um poço no porão de casa, é exatamente o mesmo de um infame assassino da Filadélfia chamado Gary Heidnik, sobre quem Harris aprendeu em uma palestra.

Mas se o objetivo de James Gumb, nome do personagem de Buffalo Bill, era o de assassinar suas vítimas para se vestir de suas peles, o de Heidnik não necessariamente envolvia morte – o que não o torna menos assustador de forma alguma. Um dos objetivos do bispo e fundador de uma seita supostamente religiosa era ter uma grande família formada por filhos perfeitos. Ele sequestrou, torturou e estuprou seis jovens mulheres com este intuito.

LEIA TAMBÉM: 13 PERSONAGENS ATERRORIZANTES DO CINEMA DE HORROR

Outros assassinos que compõem a personalidade de Buffalo Bill

Gary Heidnik / Créditos: Wikimedia Commons

A principal semelhança entre Buffalo Bill e Gary Heidnik está no cativeiro elaborado para suas vítimas e na parte da tortura. Outras características do fictício serial killers foram emprestadas de outros assassinos reais:

Jerry Brudos: estrangulava suas vítimas vestido com as roupas delas e mantinha seus sapatos como souvenires. 

Ed Gein: mantinha troféus e lembranças dos ossos e peles dos corpos que desenterrava de cemitérios. Também fez uma roupa e máscaras com peles de mulheres. O assassino também inspirou outros filmes, como Psicose e O Massacre da Serra Elétrica.

Ted Bundy: fingia estar machucado para atrair suas vítimas. Enquanto as mulheres tentavam ajudá-lo, ele as dominava, sequestrava e assassinava. A história do assassino está em Ted Bundy Profile: Um Estranho ao meu Lado.

Edmund Kemper: assim como Gumb, matou seus pais quando era adolescente “apenas para saber qual era a sensação”.

Gary Ridgway: também conhecido como o Green River Killer, o assassino ainda não havia sido identificado quando O Silêncio dos Inocentes foi escrito. Assim como Buffalo Bill, deixava suas vítimas já sem vida em rios e inseria objetos em seus corpos.

Alfredo Ballí Treviño: assassinou seu namorado e o decapitou. Também é suspeito de ter assassinado diversos caroneiros.

LEIA TAMBÉM: O QUE O GREEN RIVER KILLER, TED BUNDY E HANNIBAL LECTER TÊM EM COMUM?

Sobre DarkSide

Eles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

1 Comentário

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Graphic NovelListasMedo Clássico

Da obsessão à inspiração: As principais influências de H.P. Lovecraft

Passado quase um século desde a publicação de suas obras, hoje é difícil imaginar...

Por DarkSide
Dark House

As sinistras colaborações de Michael McDowell e Tim Burton

Michael McDowell tinha uma ideia muito bem definida quanto ao seu legado: nunca...

Por DarkSide
Darklove

Kerri Maniscalco: Novos livros chegarão ao Brasil

Os DarkSiders pediram e a Caveira ouviu: As bruxas de Kerri Maniscalco chegam na...

Por DarkSide
Coven MagicaeMagicae

Respeita a bruxa que habita teu ser

Você já se perguntou o que eu estou fazendo aqui? É tanta coisa que a gente vive,...

Por Devaneio da Bruxa
Graphic NovelListas

Uma Dobra no Tempo: 5 curiosidades sobre a autora Madeleine L’Engle

Madeleine L’Engle foi uma mulher à frente do seu tempo e suas obras atravessaram...

Por DarkSide