Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


Cesar Bravo From HellFilmes

Hellraiser 2022: Renascida do Inferno

Estamos prontos para os cenobitas de Clive Barker

06/09/2022

O ano é 1987. Estamos sobrecarregados de Slashers, já decoramos cada gemido de O Exorcista e toda noite sonhamos com a adolescência do Bebê de Rosemary. Foi nesse ano que o mundo do horror foi sacudido por um fenômeno inesperado chamado Hellraiser.

LEIA TAMBÉM: CLIVE BARKER É CONFIRMADO COMO PRODUTOR DA SÉRIE DE HELLRAISER

No longa nascido da mente conturbada e hipercriativa de Clive Barker, acompanhamos o mais pungente dos cenobitas, Pinhead, até os confins do inferno humano e além, traçando um paralelo jamais alcançado no cinema entre o prazer sexual e a dor corporal extrema. Também navegamos pelas HQs, textos, e exploramos uma infinidade de databases e fofocas que tentaram, sem muito sucesso, sacramentar de uma vez por todas quem era o cenobita que arrebatou tamanha legião de fãs.

De volta à 2022, recebemos o anúncio do décimo primeiro filme da franquia, que fará sua estreia no canal Hulu, em 07 de outubro. Depois de um breve frisson da base de fãs trazida de volta à vida, algo rapidamente alterou os humores da comunidade menos flexível do horror: o anúncio de que Pinhead, figura que se tornou popular no corpo e voz trovejante de Doug Bradley, seria interpretado por uma mulher, a atriz Jamie Clayton (que emprestou seu talento à série Sense8). Pois bem, citadas as reclamações e motivações testosterônicas, vamos aos fatos sobre a gênesis desse anjo demoníaco.

O que sabemos sobre o início de Pinhead é definitivo, documentado, e corrobora bastante com a escolha de Clayton para o papel. Para começo de conversa, não existia um Pinhead masculino, mas alguém descrito, nas palavras de Barker, como:

Hellraiser: Pinhead
© 1987 Rivdel Films

Sua voz, ao contrário da de seu companheiro, era leve e ofegante – a voz de uma garota excitada. Cada centímetro de sua cabeça tinha sido tatuado com uma grade intrincada, e em cada interseção dos eixos horizontal e vertical, um alfinete de joias cravado no osso. Sua língua foi decorada de forma semelhante.
The Hellbound Heart, Clive Barker

Barker pode não ter dito que o Engenheiro “era uma fêmea” (e acho mesmo que ele jamais diria algo parecido), mas fica óbvia a ambiguidade, a pluralidade sexual do personagem. Aliás, quem conhece a obra de Barker, sabe que o ponto de interesse do autor sempre é o prazer final, independentemente dos meios e escolhas usados para alcançá-lo.

LEIA TAMBÉM: CLIVE BARKER, UM ARTISTA COMPLETO

Ainda sobre Cenobita Líder, segundo fãs de longa data e entrevistas do autor, Barker inspirou-se na moda punk, catolicismo (além dos Cenobitas originais do cristianismo serem uma ordem religiosa, ele também chegou a evocar Pinhead como “O padre” em alguns rascunhos), e nas visitas que fez a clubes de sadomasoquismo e bondage em Nova York e Amsterdã. Para Pinhead especificamente, Barker se inspirou em esculturas de fetiche africanas, e inicialmente, pretendia que seu personagem tivesse um piercing no umbigo, sugerindo que também existiam piercings genitais. E claro que ele se inspirou nos açougues…

Segundo a sinopse do filme roteirizado por Ben Collins, produzido por Barker e dirigido por David Bruckner, no novíssimo Hellraiser, uma jovem lutando contra o vício se apossa de uma antiga caixa de quebra-cabeça, sem saber que o objetivo é convocar os Cenobitas, um grupo de seres sobrenaturais sádicos de outra dimensão.

Hellraiser 2022

Até aí tudo sob controle, mas ficará bem mais atraente e empolgante se a sensualidade agressiva dos cenobitas puder ganhar a tela com toda potência que ela merece, e um pouco mais se o filme conseguir se proteger dos panfletos e bandeiras que vez ou outra contaminam a criação audiovisual. Chamar um cenobita de sádico, também me parece um pouco simplório, mas estamos falando de show business, o que deixa tudo um pouco mais… político.

O que esperamos como fãs dispostos a aceitar quase todos os pecados, é que a produção (que conta com Clive Barker) dê vazão a tudo o que um cenobita representa aos seus adoradores compulsivos: luxúria, androginia, sexualidade extrema, cura, pecado, danação, apetite, sangue, redenção, dor e prazer, mas MUITA DOR E PRAZER.

LEIA TAMBÉM: SPLATTERPUNK: O TERROR SEM LIMITES

Coleção de livros Clive Barker DarkSide

Sobre Cesar Bravo

amplificador cesar bravoCesar Bravo é escritor, criador de conteúdo e editor. Pela DarkSide® Books, publicou Ultra Carnem, VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue, DVD: Devoção Verdadeira a D., 1618 e Amplificador.

3 Comentários

  • Joyce Furtado

    6 de setembro de 2022 às 21:46

    Vou ter coragem????

  • Cláudio Augusto Martins de Almeida

    10 de setembro de 2022 às 15:23

    Amém demais o Texto Querido Cesar Bravo Eu tenho o Livro Hellhaiser do Mestre Clive Barker
    Ps
    Amei Eu Assisti o Filme na Band em 1992
    Vou assistir Ao Filme
    Novo no Canal Holu no Dia 7 de
    Outubro de 2022

  • André

    27 de novembro de 2022 às 20:44

    texto muito bom, parabéns

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

Livros de Sangue: Volume 1 + Brindes Exclusivos
R$ 79,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Hellraiser: Renascido do inferno
R$ 64,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Ela Não Pode Confiar

    Wicked
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
FilmesFirestar Videolocadora

Brain Dead: Seu cérebro nunca será desligado

Depois de tudo o que foi feito pelo horror nos anos 1980, nosso gênero mais amado (e...

Por Cesar Bravo
Graphic NovelNovidades

Spa, de Erik Svetoft, é finalista do Prêmio Eisner

Tem história publicada pela DarkSide® Books entre os finalistas do Prêmio Eisner...

Por DarkSide
FilmesNovidades

Alpha: terceiro filme de Julia Ducournau vem aí

A cineasta francesa Julia Ducournau se estabeleceu como uma verdadeira visionária do...

Por DarkSide
CuriosidadesMagicae

Quais são os 7 chakras e o que eles significam

Você provavelmente já ouviu algum comentário sobre “desalinhar os chakras” e...

Por DarkSide
CuriosidadesMagicae

O que é a linguagem secreta das flores da Era Vitoriana?

Quanta emoção uma flor pode carregar? Não é de hoje que elas acompanham nossos...

Por DarkSide