Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


Crime SceneGraphic Novel

10 Fatos sobre Jeffrey Dahmer que você provavelmente não conhecia

Canibal de Milwaukee teve HQ escrita por amigo de infância

19/09/2022

Já pensou descobrir que um dos seus amigos de infância se revelou ser um dos assassinos em série mais procurados do país? Foi isso o que aconteceu com Derf Backderf, autor de Meu Amigo Dahmer. Na história em quadrinhos, o autor resgata as lembranças com o amigo que se revelaria ser um serial killer.

LEIA TAMBÉM: 5 AUTORES TRUE CRIME QUE ACOMPANHARAM OS CASOS DE PERTO

Entre os anos 1978 e 1991, Jeffrey Dahmer assassinou 17 pessoas, todos homens e garotos. Seus crimes eram particularmente hediondos, envolvendo também estupro, necrofilia e canibalismo – o que lhe rendeu o apelido de “Canibal de Milwaukee”.

Após sua prisão em 1991, ele foi condenado a 16 penas de morte. Três anos após o julgamento, foi assassinado na prisão por outro detento. Mesmo mais de trinta anos após os seus crimes, Dahmer continua a causar repulsa nas pessoas que se deparam com o seu caso.

Os crimes do serial killer voltaram a chamar a atenção do público com a nova série da Netflix, Dahmer: Um Canibal Americano. O assassino é interpretado por Evan Peters e a produção leva a assinatura de Ryan Murphy, criador de séries como American Horror Story e American Crime Story.

Créditos: Wikimedia Commons

Com uma infância aparentemente normal, o gatilho que possa ter transformado o amigo de Derf Backderf no Canibal de Milwaukee permanece um mistério. E é justamente esta falta de compreensão pelo que poderia ter motivado seus crimes que o torna um dos serial killers mais comentados até hoje.

A seguir, a Caveira separou alguns fatos sobre a vida do assassino que talvez possam ajudar a elucidar um pouco melhor sua personalidade:

1. Tudo pode ter começado com uma cirurgia na infância

Segundo relatos da própria família, o pequeno Jeff era uma criança feliz e cheia de energia. Mas isso mudou quando ele precisou ser submetido a uma cirurgia por causa de uma dupla hérnia. Pela mesma época, seu irmão mais novo nasceu e a família precisou se mudar com certa frequência para diversas localidades em Ohio.

Investigadores acreditam que a soma de todos estes fatores possa ter influenciado a mente do garoto, pois a partir de então ele nunca mais demonstrou a mesma alegria que lhe era tão típica. Além disso, Jeffrey se tornou uma criança mais introspectiva.

Uma outra corrente de especialistas acredita que na verdade ele tinha uma síndrome de Asperger nunca diagnosticada. Investigadores ainda descobriram que a mãe dele teve problemas mentais enquanto estava grávida dele, o que a levou a tomar muitos remédios durante a gestação.

2. Ele tinha uma obsessão por ossos de animais desde pequeno

Quando ainda era uma criança, Dahmer nutriu uma obsessão por ossos de animais, principalmente no que dizia respeito aos sons feitos por eles e à maneira com que se encaixavam. O interesse esquisito foi encorajado pelo próprio pai, que era farmacêutico.

Aos 10 anos de idade, Jeffrey Dahmer perguntou ao pai o que aconteceria se ossos de galinha fossem colocados em alvejante. O pai acreditava que o interesse do filho era puramente científico e ensinou o pequeno a preservar ossos usando estes produtos. Mais tarde, Dahmer aproveitou o aprendizado para preservar os crânios de suas vítimas.

3. Jeffrey Dahmer já tinha problemas com álcool na adolescência

Colegas de Dahmer se lembram dele contrabandear cerveja, vinho ou qualquer outro tipo de bebida alcoólica para o seu armário no colégio. O álcool afetou negativamente seu desempenho estudantil, contribuindo para o seu isolamento. Seus pais chegaram até a contratar um tutor particular para dar um reforço nas notas.

Créditos: Murderpedia

Outra lembrança de seus colegas é que Dahmer era o palhaço da turma, que fazia brincadeiras para divertir os outros. Com notas medianas, os professores acreditavam que seu desempenho era mais resultado de desleixo do que falta de inteligência.

LEIA TAMBÉM: 5 SERIAL KILLERS ESTUDADOS POR ROBERT K. RESSLER

4. Ele serviu ao exército como médico de combate

Em janeiro de 1979, Jeffrey Dahmer se alistou ao exército americano. Ele foi treinado como médico e enviado para a Alemanha Ocidental. Daquele ano até 1981 ele serviu como médico de combate.

Durante este período, Dahmer foi acusado de ter estuprado dois soldados. Uma das vítimas disse ter sido violentada após ter sido drogada pelo médico. O outro soldado era colega de quarto do assassino e afirmou ter sido abusado sexualmente repetidas vezes. Tudo isso somado ao seu alcoolismo fez com que ele tivesse sido considerado inapto para o serviço militar e enviado de volta aos Estados Unidos.

5. Dahmer assassinou e guardou restos mortais enquanto vivia na casa da avó

Em dezembro de 1981, Jeffrey Dahmer se mudou para a casa de sua avó, em Wisconsin. Lá, ele teve diversos empregos e nas horas vagas ia a casas de banho e assediava homens jovens. Ele atraiu diversas vítimas à casa da avó, onde as drogava, estuprava e matava. 

Além de tudo isso, muitas vezes era ali mesmo que ele desmembrava estes homens. Sua avó chegou a pedir que ele se mudasse para outro local porque não gostava do hábito do neto de sempre trazer homens para casa tarde da noite e também por causa do fedor que emanava do porão. Imagine se ela soubesse o que causava o cheiro.

6. O assassino mantinha uma macabra coleção de fotografias

Após assassinar uma de suas vítimas, Dahmer tirava fotos do corpo dela em diferentes estágios de desmembramento. Ele também posicionava os cadáveres em poses bem perturbadoras.

Em julho de 1991 um homem chamado Tracy Edwards apareceu na rua bêbado e com algemas nos pulsos. Ele falou aos policiais que um “cara estranho” havia feito isso com ele, o que levou os agentes a darem uma olhada no apartamento de Jeffrey Dahmer. Quando um deles encontrou a doentia coleção de fotografias, decidiu investigar um pouco mais, descobrindo o “congelador dos horrores” do assassino, com diversas partes corporais sendo conservadas.

7. Ele estava montando um altar com as caveiras de suas vítimas quando foi pego

Jeffrey Dahmer foi pego quando sua 18ª vítima fugiu de seu apartamento em Milwaukee e procurou a polícia. Quando chegaram ao local, a polícia se deparou com uma cena no mínimo macabra: torsos sendo dissolvidos em um barril industrial cheio de ácido, restos mortais guardados no congelador, dois esqueletos completos e caveiras branqueadas no armário.

Segundo o próprio contou à polícia, os planos do assassino envolviam construir um altar repleto de caveiras e ossos. O projeto do macabro altar ainda envolvia uma cadeira de couro preto, onde Dahmer se sentaria. Ele disse que a estrutura serviria como um lugar onde ele pudesse “se sentir em casa”.

8. Dahmer conduzia experimentos em suas vítimas

Durante as investigações do caso, foi descoberto que o assassino conduzia experimentos em alguns dos cadáveres de suas vítimas. Isso incluía lobotomias e aplicações de fluidos nos crânios. Enquanto elas ainda estavam vivas, ele injetava ácido muriático para ver se conseguia mantê-las sob seu domínio.

Jeffrey Dahmer confessou ter violado alguns dos cadáveres e também ter preservado o coração de um homem para devorá-lo mais tarde. Segundo o psiquiatra forense envolvido no caso, Dr. Frederick Fosdal, os assassinatos não costumavam ser brutais, mas eram profundamente relacionados ao controle que o serial killer queria ter sobre suas vítimas.

O médico também não encontrou nada que corroborasse com a alegação de insanidade de Dahmer. Para Fosdal estava evidente que ele sabia que seus crimes eram malignos e escolheu conduzi-los da mesma forma.

9. O assassino foi espancado até a morte na prisão

Em 28 de novembro de 1994, Dahmer foi escalado para um trabalho com outros dois detentos da Columbia Correctional Institution em Winsonsin, onde estava preso. Sem supervisão dos guardas, o detento Christopher Scarver começou a questionar Jeffrey Dahmer sobre seus crimes contra afro-americanos — que formavam a maioria das vítimas do Canibal de Milwaukee.

A discussão resultou em Scarver espancando Dahmer até a morte com uma barra de aço de um equipamento da academia da prisão. Ele também atacou o outro detento presente, Jesse Anderson, que morreu dois dias depois. Scarver passou dezesseis anos na solitária pelos crimes e alegou que matou Dahmer porque ele provocava e insultava os outros detentos. Além disso, afirmou que não estavam sendo supervisionados naquele momento porque os funcionários da prisão também o queriam morto.

10. Derf Backderf não foi a única pessoa próxima a escrever um livro sobre Jeffrey Dahmer

Backderf era amigo de infância de Dahmer, o que lhe motivou a escrever uma graphic novel sobre a experiência.

Mas alguém muito mais próximo ao assassino também dedicou uma publicação a isso: Lionel Dahmer, seu pai. A obra A Father’s Story é um livro trágico que não tem qualquer intenção de defender Jeffrey. Pelo contrário, na obra, Lionel faz uma reflexão tentando entender como ele pode ter falhado tão profundamente como pai.

LEIA TAMBÉM: O QUE O GREEN RIVER KILLER, TED BUNDY E HANNIBAL LECTER TÊM EM COMUM?

Sobre DarkSide

Avatar photoEles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

43 Comentários

  • Reverlhe buben nascimento

    20 de setembro de 2022 às 15:57

    loucura fim

  • Carlos

    21 de setembro de 2022 às 21:26

    Não há muito a dizer sobre serial killer ,parece que tudo há foi dito e misturado na tv e no cinema .Resta saber se os crimes macabros são fruto de uma mente saudável ou doentia,parece causar horror acreditar que nós somos capazes de cometer crimes tão perversos , será que já emoção na hora do ato outudo é feito de forma robótica? por favor esclareçam.

    • Avatar photo

      DarkSide

      22 de setembro de 2022 às 13:21

      Essa é uma questão que investigadores, psicólogos e psiquiatras forenses tentam responder há décadas e a resposta ainda pode ser bem particular. Para compreender melhor a mente de serial killers a Caveira recomenda a leitura dos livros Serial Killers: Anatomia do Mal e Mindhunter Profile: Serial Killers.

  • Carlos

    21 de setembro de 2022 às 21:28

    Assassinos psicopatas são almas degeneradas.

  • Carlos

    21 de setembro de 2022 às 21:30

    Super interessante o tema .

  • Michelline

    22 de setembro de 2022 às 14:11

    estou assistindo a série na Netflix, e o que foi descrito aqui está fidedigno a série.
    acredito que o Pai pouco poderia fazer, ele é um psicopata, se apostasse em um culpado seria a mãe, pelas medicações ingeridas na gravidez e o comportamento desequilibrado, além do abandono durante sua adolescência. Mas dados os fatos, ainda fico com a ideia de que ele já nasceu com com essa disfunção cerebral. infelizmente.

  • Susubis

    22 de setembro de 2022 às 14:47

    Li sobre o caso, assisti a série, olhei fotos dele e dos assassinatos.
    Tudo isso mostra como na época, a polícia, psiquiatras forenses, justiça e afins foram falha com cada uma daquelas vítimas.
    Eles não haviam a tecnologia e estudos necessários que temos atualmente, mas muitas mortes deste serial killer, como de outros, teriam sido evitadas se não houvesse descriminação e falta de profissionalismo.
    Ocorreu há anos atrás mas ainda reflete na sociedade atual os mesmos erros, sendo que há estudo e tecnologia para evitar que isso aconteça.

  • Leticia

    22 de setembro de 2022 às 17:36

    Cara! É horrendo, é de dar nojo ver a tamanha crueldade desse cara.
    Eu me pergunto sempre o porquê,mesmo sendo algo tão estudado/investigado nunca conseguiram dar uma idéia de fato.
    Como um ser é capaz de cometer isso?O que levou ele a isso?Por que?…

  • Gabi

    24 de setembro de 2022 às 02:31

    Acho que ele sempre teve pre disposição para a psicopatia, mas as condições ajudaram a piorar, a mae desiquilibrada, o pai ajudando a se interessar por dissecar animais e esse negócio de voltar estranho da cirurgia… deve ter acontecido algo, sei la. foi estuprado… fico imaginando o q poderia causar tanta loucura. credo. passada.

  • Lucas Santos

    24 de setembro de 2022 às 03:29

    Não tem como negar de que ele não era uma pessoa normal!
    Ele matava as pessoas por prazer, mesmo depois da morte queria ter elas por perto!
    Eu Sou gay, Tenho que confessar que eu tbm seria facilmente induzido por ele, o cara era muito bonitooo!
    E naquela época ele se envolvia mais com os cara preto da sua região pq era as presa fácil !
    Nenhum gay preto naquela época imaginava ter um rolo com um cara branco e bonito como ele , isso tenho certeza que era uma raridade.
    O preconceito existe no tempos atuais, agr imaginem, só! Anoooos atrás!!

    Depois de assistir essa série, boy com local pra mim não é mais uma boa ideia kkkkkkkkkk

  • CHAUANY

    24 de setembro de 2022 às 05:22

    Penso exatamente como você, para mim era algo incontrolável por ele e deve se pelo fato de a mãe já ter problemas psiquiátricos e fazer uso de medicamentos na gestação.

  • Luanna caroliiny

    24 de setembro de 2022 às 10:22

    Como poderia ter existido um cara assim! É difícil também intender a falha das autoridades,em cima disso. Como o racismo,tá explícito nesse caso. A todo momento as autoridades acreditaram em um homem branco com uma aparência angelical,dando regalias e sempre deixando ele escapar,se ele tivesse sido preso desde o menino que acabou morrendo primeiro com as drogas,nada disso talvez teria acontecido. Muito descaso com o caso.

  • Sousal

    24 de setembro de 2022 às 13:52

    Psicopata! Poderia ter sido condicionado para ser arqueólogo, infelizmente sem a estrutura familiar e a ignorância foi desenvolvido para o mal.

  • Isabela

    24 de setembro de 2022 às 14:03

    O autor foi bem infeliz quando citou “Síndrome de Asperger”, aconselho estudar melhor o assunto.

  • Elina Rúbia

    24 de setembro de 2022 às 17:23

    Hoje estou terminando de assistir a série e percebi que o caso em si, não podemos deixar de mencionar os fatores de cunho social, familiar que este criminoso vivenciou desde a sua formação, como descaso, negligencia por parte dos pais, falta de afetividade, para toda formação de um bom cidadão a formação primária vem do lar. Os pais não atentaram nunca para as características e distúrbios de comportamento que ele desenvolvia desde a infância. Sua genitora acometida de distúrbios psicológicos antes, durante e pós gravidez “psicose puerperal”, uso excessivo frequente de medicações, seu pai com relações extras conjugais, além de conviver e vivenciar a relação conturbada dos pais, agressões psicológicas entre eles e físicas. Isso fazendo que o que sua atenção nunca estava voltada ao filho J. Dahmer, sendo sempre o último a ser olhado ou nunca escolhido. A única que tentou até o último instante ajuda-lo, aceitou mantê-lo por perto foi sua avó paterna. Contudo digo que não se trata de culpa dos pais a escolha do filho ter seguido este caminho, porém contribuíram de certa forma. família é a base para formação de um bom cidadão. Detive – me a este olhar do socioeconômico, problemas com álcool desde a adolescência, pais ausentes de fato da sua formação, ou seja, diversos fatores fortaleceram os seus complexos de mente criminosa. Netflix de fato nos deu o presente, muito interessante mesmo a série, boa pra nós da área da humanas e operadores do direito.

  • Aline

    24 de setembro de 2022 às 23:17

    Lendo os comentário e vendo alguns podcast, até mesmo na série, digo que é muito fácil culpar a mãe, mas o pai era igualmente negligente se não mais. A mãe precisava de ajuda e não teve.

  • Gislene

    25 de setembro de 2022 às 07:54

    É tão surreal vê que alguns vídas poderia ter sido poupadas se não se a polícia fizesse seu trabalho sem descriminação mdss e absurdo se vc prestar atenção

  • Lilian

    25 de setembro de 2022 às 09:07

    estou vendo a série, e pelo que estou vendo pelo meu ponto de visto acho que ele ficou mais perturbado pelo fato do pai ser ausente e a mãe ser uma viciada em remédios….mas enfim a mente humana

  • Nathalia

    25 de setembro de 2022 às 11:52

    pelas séries, documentários e leituras que já fiz, as causas ainda são desconhecidas. apesar de já ter sido confirmado que a maioria desses assassinos foram crianças que sofreram abusos físicos ou psicológicos, negligência, sofrimento fetal entre outros. mas ainda é uma incógnita para a população científica ou não: existem pessoas essencialmente más? sem justificativa para terem se tornado assim ?

    Complementando comentários anteriores, concordo com a negligencia da polícia/ justiça nessa época, mas hj em dia creio que não tenha mudado muita coisa, nas regiões mais marginalizadas isso continua acontecendo e a negligencia ainda se faz presente.

  • Anônimo

    25 de setembro de 2022 às 23:56

    acho que a infância foi oque mais influenciou ele, sua mãe ser drogada e o pai influenciar seu fetiche por animais mortos etc, sobre seu amigo, ele não foi mencionado na série até onde assisti porque?

  • Katia

    26 de setembro de 2022 às 04:52

    Eu tive uma infância 2 x pior que a dele,aos 12 anos tive a minha mãe assassinada na minha frente por meu pai depois de todo o inferno que ele produzia na nossa vida…
    cresci sozinha,jogada de casa em casa,fui trabalhar aos 13 na casa de familia pra ter aonde dormir,como estudar,e ter dinheiro…
    Fiz tudo sozinha,fui maltratada,desprezada,ignorada etc etc etc…
    Eu so tentei viver o melhor wue pude…com o pouco que a vida tinha pra mim…
    Cresci,estudei,me formei casei,tive 2 dois filhos que mato e morro por eles…e hoje moro em outro país…e tenho 41 anos hoje…
    Nao virei seria Keller,mas vivi e vivo uma vida de disturpios pisicatricos,medicação, falta de sentido pea viver…isolamento as vezes,e etc…

    • Avatar photo

      DarkSide

      26 de setembro de 2022 às 08:13

      A Caveira sente muito que você tenha passado por tudo isso. Continue se cuidando e vivendo da melhor maneira que puder <3

  • Sonia Baggio

    26 de setembro de 2022 às 07:11

    assistindo a série,e estou chocada, …acho q poderia ter sido evitado, ….ou pelo menos, diminuído as vítimas,se dessem mais atenção para as denuncia da vizinha

  • Paula

    26 de setembro de 2022 às 12:16

    Realmente foi tudo terrível o que esses assassinos causaram, às vítimas e às famílias delas. A polícia foi incompetente por anos…
    Nessa série eu acredito que os pais têm uma parcela grande de culpa,pois sempre olharam só pra eles,nunca para o J.D. O abandonaram e se isentaram de qqr mínima responsabilidade.
    O pai sempre muito preocupado com a questão de ele ter que gostar de meninas, ser um mulherengo, como se isso fosse o mais importante.
    A vó realmente foi a única que se importava e via as coisas com mais clareza.
    Mas o q me espanta, é que J.D. tentou dizer ao pai que não era normal e que fazia coisas ruins, mas o pai nunca teve a intenção de ouvi-lo e sim,colocar seus próprios desejos acima de tudo na vida do filho.
    Ouvir as X é mais importante q falar. Claro, o assassino escolheu o caminho a seguir,mas ele sabia o qto era monstruoso e quis que talvez o pai,fizesse algo para ajuda-lo, ele nunca omitiu ser um monstro.
    Infelizmente pessoas sofrem até hj por falta de cuidados,terapias e remédios. Existe um estigma de loucura em tudo o que é vindo da mente.
    Estejamos mais atentos aos pedidos de socorro.
    Sociopatia não é doença e sim, desvio de caráter, linha medial
    entre o insano e o são.
    A medicina psiquiátrica precisa evoluir, pois hj é a medicina q menos evoluiu em décadas .
    Triste.

  • Loama

    26 de setembro de 2022 às 16:56

    Acho que ele tenha nascido norma,portanto, quando começou a dissecar os animais ele começou a pegar gosto e junto com o descaso da mãe e do pai e outras coisas foi virando uma bola de neve,acho que isso foi virando um trauma na cabeça dele, e assim foi perdendo a noção e percepção do que era certo ou errado,talvez se tivesse tido outra criação diferente talvez nao teria dado no que deu… infelizmente

  • Yessk

    26 de setembro de 2022 às 19:06

    eu asssiti a serie da flix mas ja conhecia sobre o caso porq tenho interesse nesse tipo de assunto…gosto dessas coisas …pra analise de tentar entender a mente humana sabe… eu sei que ele nasceu com todo esses problemas hereditários…mas no fundo no fundo ele carregava além de problemas psiquiátricos … carregava uma dor e tudo isso somatiza muito em uma mente fraca e conturbada…. sem falar da ausência de amor da familiar… esses casos nos alertam e tem muito a nos ensinar…sobre buscarmos sempre a entender sobre quem somos…porque estamos e pra onde vamos….. …. no fundo toda essa história é algo mt triste….

  • Clara

    26 de setembro de 2022 às 22:22

    Na minha opinião, a infância contribuiu muito para certos fatores da vida adulta dele… não que a culpa seja só dos pais pq acho que ele nasceu assim, porém tbm acho que poderia ter sido evitado se os pais olhassem mais pro filho, dava pra ver o medo que o jeff tinha de abandono na série da Netflix, não que isso justifique Oq ele fez. Outra coisa também foi a negligência da polícia e como isso reflete nos dias de hoje… o racismo o preconceito chega a doer em mim que nem sou negra, doi muito mesmo… tantas vidas. Mas enfim, nunca fui de confiar muito em ninguém mas dps desse caso… agora que não confio mesmo rs, juro nada de aceitar bebida mt menos carona ou lugar pra dormir, são coisas mt simples que nós sabemos q é perigoso mas somos orgulhosos dms nunca achamos que possa acontecer com nós . Tomem cuidados amigos/a/e, se cuidem!

  • Duda

    28 de setembro de 2022 às 02:53

    Terminei a série e lendo aqui também, estou completamente chocada. Realmente, como pode ser possível alguém ser tão mal assim, e cometer crimes tão horripilantes. Dá pra ver que era um psicopata sinistro pela total falta de remorso e consciência do que fazia, doença é o cacete.
    O pior de tudo é pensar que poderia ter sido bem menos pior se tivessem checado direito no caso do menino laosiano, já tinha um cara morto lá e se tivessem visto e prendido ele, certamente muitas mortes seriam evitadas. Mas de toda forma, serviu para mostrar o total descaso da polícia com aquela população, a discriminação e preconceito, e por mais que as famílias tenham sofrido horrores (e tinha maluco que virou fã do cara), a história foi levada para outras gerações, para nunca ser esquecida, ele será lembrado como um monstro.

  • DAVID

    28 de setembro de 2022 às 08:06

    Para quem cresceu vendo Jason e Freddy Krueger eles são nada se comparar com estórias de Jeffrey Dahmer , John Wayne Gacy que matou mais de 40 e enterrou em casa , Ed Gein que fazia roupas com o couro dos corpos e tigelas com os crânios e estofada as cadeiras com o couro de suas vítimas.

  • Aline Greisee

    28 de setembro de 2022 às 11:42

    Na minha opinião , faltou sim apoio dos pais no momento que ele mais precisava, Mais os muitos medicamentos que a mãe ingeria também na gravidez dele , acho que ajudou a desencadear esse psicopata , além do apoio do pai na parte de desmembrar dessecar animais mortos , isso tudo deu combustível para que esse lado psicopata florescesse sem freio. Enfim nada justifica e ninguém até hoje soube o que aconteceu d e verdade , o que nos restas e tirar nossas próprias conclusões depois de saber a história . Tony era uma pessoa que eu imaginei que ele se apaixonaria e se esforçaria a mudar essa história , mais o lado ruim mais uma vez tomou conta dele.

  • Thalita

    29 de setembro de 2022 às 11:08

    Acho fascinante a busca do ser humano por um culpado, o desejo incessante pelo motivo que leva alguém a fazer algo, a busca pela causa e a incapacidade de aceitar, que qualquer pessoa é capaz de tudo, basta acreditar que isso deve ser feito.
    O que leva homens e mulheres a doarem suas vidas na guerra, sendo que os reais causadores estão em gabinetes blindados? O que leva homens bomba a sacrificar a propria vida e a de terceiros?
    Temos a tendencia da certeza, sempre queremos estar certos, e quando definimos e algo é certo, fazemos. Nos matamos na guerra, com bombas… porque o certo é dar minha vida por pessoas que nem sabem que existo, “pelo bem maior”
    Para buscar o conforto do reconhecimento com medalha de honra, para chegar no céu e ter 7 virgens, para depois de todo sacrifício realizado, poder se sentir em casa!
    Não precisamos de doença para fazer essas e outras escolhas, só precisamos acreditar que é o que tem que ser feito.

  • Rana

    29 de setembro de 2022 às 11:37

    Bem, pelo que vi na série tudo isso pode ter vindo desde a gravidez, já que tudo se passa para o feto..
    ela teve que tomar diversos remédios para se sentir bem, pois já não se mostrava feliz com a gravidez.. teve até depressão pós parto.. ter filho não é facil, é uma responsabilidade enorme. por conta dos problemas psicológicos que ela tinha em nenhum momento vi ela demonstrar afeto pelo Jeff. na série sempre mostra o pai indo sempre trabalhar, até compreendo por ele ter que trazer o sustento para dentro da casa porém é saudavel demonstrar afeto pela criança, independente da idade. o ambiente não era saudável para o Jeff. Faltou acompanhamento psicológico para ele aprender a digerir toda a separação dos pais, ele era novo demais. Sempre acompanhava as brigas dos pais e como eles não se respeitavam.. é um caso longo.. e o Jeff se sentia muito só sim, tanto que ele sempre falava “você não vai me abandonar né? você vai ficar, eu quero que você fique, não vá embora..”

    lhe faltou amor..
    não sei se realmente queriam estudar o cérebro dele como mostra na série mas seria muito bom se eles tivessem essa oportunidade para tentar entender como tudo veio acontecer.. porém, infelizmente, pelo peso da culpa no pai, ele insistiu para que fosse cremado. e eu entendo, é tudo muito doloroso.. ele só queria por um fim em tudo aquilo..
    e eu sei como é traumatizante tudo isso para as vítimas das famílias, e eu sinto tanto por isso repercutir tanto.. espero que um dia todos encontrem a paz.

  • Enila

    1 de outubro de 2022 às 09:10

    Tentar entender a natureza humana para justificar seus atos é inútil. O lado sombrio que habita nosso estágio material é nossa própria sombra. Intangível, silente. O ser humano é tanto cruel quanto bom. Estudar buscando características físicas, tangíveis, ou distúrbios que justifiquem os hábitos torna-se patético e inútil. Existe um lado ilegível que o âmbito espiritual explica: trazemos nossa natureza, boa ou ruim, com a gente quando encarnamos. O afloramente independe do ambiente em que vivemos. Quando eu era criança me interessava pela morte e seu mistério. Acompanhei a decomposição de um coelho pelo simples interesse palpável de perceber todas as etapas até os ossos. E nem por isso me tornei uma serial killer. E nem por isso me tornei um ser humano desajustado. Alguns, que com certeza se depararam com a curiosidade desses mistérios, se deixaram levar e foram além. Não alimento minha sombra. Não tenho interesse em observar seres humanos sofrendo e muito menos inanimados. A dualidade humana em se manter em equilíbrio entre a luz e as sombras é antigo. É a sua Consciência que te guia. Realmente eu fico chocada com as atrocidades que o ser humano pode ser tornar. Doente é o ato. A mente só conduz. E quando você se inclina e alimenta o monstro das suas vontades você se perde. Já li muito, já investiguei muito. E a conclusão que eu cheguei é que o ser humano se afasta da Luz por consciência e vontades próprias. E isso a ciência não explica. Não é latente e palpável.

  • Oliva

    1 de outubro de 2022 às 20:59

    ” Jeffrey” não só matou mas comeu algumas de suas vítimas. Uma ação “simbólica” de garantir que eles nunca mais iriam embora… “fazendo parte dele”. dando ênfase as frases do killer em que relatou:
    ” Por que todos vão embora?. “ninguém quer ficar comigo”…

    Jeffrey, desde a infância sentiu o abandono e sempre teve dificuldade em lidar com isso, encontrando no homicídio a solução para não ser abandonado por suas vítimas.

  • Victoria C

    3 de outubro de 2022 às 04:41

    Ele era um psicopata e psicopatas não se tornam, eles nascem assim. Não é uma doença, logo, não há cura! É um transtorno de personalidade, a personalidade deles é assim, porque o cérebro deles é diferente. É natural que o ser humano queira encontrar motivos e razões pra tudo, mas às vezes as coisas simplesmente são. Assim como você tem um bom coração e mente, mesmo passando por muitas dificuldades, os psicopatas são o oposto. Eles nascem com a parte do cérebro que gera emoções desconectada do resto, o que o impede de possuir qualquer emoção e, portanto, ter empatia, amor ou até mesmo ciúmes. Esses motivos que eles dão de serem traumatizados é muitas vezes usado pra se livrarem da culpa dos assassinatos, já que não sentem emoções e o trauma é emocional. Eles se sentem seres humanos normais, porem são viciados em se vitimizar e mentir, de modo que usam justificativas que pra uma pessoa comum seria “empático” de entender. Claro, esse Dahmer sofreu várias coisas, a mãe dele também sofria com problemas mentais e isso pode ter influenciado ele no sentido de ter predisposição genética para ser um psicopata ou ter problemas mentais. A vontade que ele tem de sentir poder e controle sobre as vítimas é outro traço de um psicopata, já que são prazeres do ego e da razão, parte do cérebro que eles tem funcionando muito bem sem o freio da emoção. A razão é controladora, a emoção é controlável.
    É lamentável que um monstro desse tenha existido, como todos os outros monstros da história da humanidade.

  • Fernanda

    7 de outubro de 2022 às 12:57

    Absurdo ler os comentários e ver que muitos aqui acham que a culpa é os pais!!!! Já vi e conheci tantas pessoas que sofreram na infância, seja com abandono, abusos físicos e psicológicos , bullying e etc.e ninguém se tornou um serial killer!!! Pra mim mim o Jeffrey era mau mesmo!!! E sofria de algum distúrbio psicológico !!!

  • Elisângela

    9 de outubro de 2022 às 00:27

    Descaso..solidao..brigas..álcool..o nascimento do irmao a negligência dos pais a cirurgia..um trauma talvez o tenham empurrado pra um caminho sombrio sem volta..desenvolveu psicopatia

  • Paulo Eduardo

    10 de outubro de 2022 às 23:35

    Cada um é responsável pelos seus atos e têm o poder de decidir mesmo sob influências. Acho que enquanto não admitirmos que o ser humano é mau em si mesmo, não teremos respostas para estas questões. Alguém pode achar que jamais faria algo dessa natureza, mas existem outros tipos de maldades e sentimentos dos quais somos acometidos. Alguns de nós e acredito que a grande maioria talvez tenha pensamentos e vontades detestáveis, mas também um filtro moral que nós impede de levar a termo esses impulsos. Outros não possuem esse filtro, e atendem o lado escuro da alma. Ao mesmo tempo que declaramos amor a uma pessoa, fazemos sofrer, declaramos fidelidade e traímos, fazemos promessas e não cumprimos. É claro que não se compara, mas de alguma forma mostra que não há bondade suficiente em nenhum de nós, e quando não há bondade suficiente, somos capazes de fazer qualquer coisa. Enganar, mentir, manipular, abusar, ferir, desrespeitar, e até mesmo matar quem um dia dizemos amar.
    Que Deus nos ajude!

  • Jonas

    16 de outubro de 2022 às 00:19

    já assisti a série na Netflix, fiquei sabendo dessa história por uma amiga q contou, fiquei chocado por saber q isso aconteceu de verdade. uma pessoa matar, esquartejar, estrupar, comer e guardar restos mortais das vítimas é uma coisa totalmente acima dos limites. pelo q estendi ele queria fazer um altar para o diabo uma coisa assim, ele tava possuído essa é a resposta, pessoas q se deixar levar por seus pensamentos malignos acabam fazendo esse tipo de coisa, isso tbem depende muito de como ele foi criado o pai ter ensinado ele tbem a cortar animais foi errado, a criança com o cérebro em fase de formacao dependendo do q está sendo ensinado pode enflunciar para o bem, mais tbem para o mal. os pais tem q ter muito cuidado com isso, foi o q aconteceu com deff falta de cuidado dos pais ele poderia ter sido um homem bom se tivesse sido criado de modo mais atencioso dos pais. é triste saber q uma pessoa é capaz de tanta atrocidade q Deus nos guarde desses males amém

  • Venicia

    18 de outubro de 2022 às 07:38

    Caramba eu nunca pensava de de assistir uma coisa tão horrenda, tão aterrorizante fiquei em choque pelas vítimas não sentiam de fato a dor forte da morte mas depois de mortas eram feitas de objetos sexuais,eram cortadas como se fossem um bicho e suas partes eram jogadas ,ou guardadas isso era muito macabro,de fato concordo com alguns comentários q li aqui,tudo q agente passa na gravidez passa pra o nosso filhos, os pais de fato ajudaram pra transformar ele nesse monstro q ele se tornou,fico Aki imaginando se ele poderia ter mudado com um tratamento psicológico ou. não,ou acho q a vontade de matar q existia dentro dele continuaria,já faz 2 semanas q assisti e ainda isso não são da minha cabeça,fico pensando o porém não era a forma q ele matava e sim o q ele fazia com os corpos depois foi 13 anos matando e fazendo as coisas q ele fazia e muito bizarro, aí me pergunto será q ele se arrependeu de coração do q fez e será q Deus o perduou e fico sem resposta pra mim mesmo,q depois desse caso q assistimos q procuramos ser melhor pra os nossos filhos,melhor na sociedade q tbm não tá nada boa e tenhamos mas fé em Deus para q ele possa nos livra de todo mau.
    Deus nos abençoe e nos livre desse mau q anda pela terra

  • Aline Muresan

    23 de outubro de 2022 às 07:58

    Se tudo foi realmente como retratado na série Netflix a família tem uma parcela grande de culpa, em especial a mãe que aparentemente nunca amou o filho, tentou se matar em sua frente e o abandonou em casa sozinho, o pai mesmo com outra família ainda tentou ajudá-lo, ambos falharam. Pais ausente e famílias desestruturadas fazem um estrago imenso, sem tirar a culpa do assassino, mas poderiam ter conduzido de um modo diferente.

  • Bruna

    23 de outubro de 2022 às 19:23

    olha de verdade! eu super gostei desse caso, eu acho muito interessante! corri atrás do apartamento onde Dahmer estava, corri atrás de várias informações. E nossa, eu realmente me empolguei, eu sinto muito as vítimas. OBS: ( não sou psicopata) Sou apenas uma curiosa, e louca por casos criminais.

  • Karol Santos

    19 de dezembro de 2022 às 11:42

    Acabo de assistir a série, e doou os parabéns a Netflix, atores com ótima atuação, além da aparência física muito semelhante aos envolvidos no caso real. O tema chama muito atenção, é sinistro quando se trata de serial killers, isso é fato! Ao assistir a série, tbm procurei pesquisar sobre a história verídica para tentar entender oque de fato se passava na cabeça de Dahmer, acredito que ele era louco sim, não é possível matar pessoas com tamanho requinte de crueldade, o fato de ele querer criar “zumbis” não é nem de longe algo que alguém considerado sem distúrbios mentais pensaria, ele era maluco e totalmente cruel… tinha transtornos espirituais tbm, não acredito que fazia isso tudo sozinho, e sim possuído por demônios, existe o bem e o mal, o mundo tem de tudo, a droga e a bebida ajudavam nesse processo, fora os atos de pedófilia e atração por meninos jovens. De fato a sua infância colaborou para que ele se tornasse um serial killers, acho que o uso de medicamentos na gestação, a separação dos pais, abandono da mãe tudo isso contribui mas não é fator determinante, pq pra mim ele já nasceu ruim, doentio, os fatos que aconteceram na infância dele só impulsionaram para tal. Outro ponto que me chamou atenção em todos os conteúdos que vi sobre ele, era como à justiça sempre foi falha, sempre á margem da discriminação racial e social, as autoridades na época foram gravemente omissas se tratando de um cara branco, padrão que tinha como vítimas negros e mestiços é comum na sociedade até hoje.

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

MEU AMIGO DAHMER
R$ 84,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
EntrevistaGraphic Novel

O Fim da Noite: Autores falam sobre as batalhas estampadas na HQ

“Foram as mulheres pretas que, devido à permissão de circular entre a casa-grande,...

Por DarkSide
ArtigoFábulas Dark

Pinóquio: O boneco de Carlo Collodi que ganhou o mundo

Era uma vez um pedaço de madeira… Onde já se viu uma história começar assim?...

Por Luana Lacerda
CuriosidadesFilmesSéries

Barrie Gower: Conheça o trabalho do maquiador de The Last of Us

Se você também está horrorizado e ao mesmo tempo fascinado pelos infectados da...

Por DarkSide
Magicae

Lammas: É hora de partilhar o pão e celebrar a prosperidade

A Roda do Ano do nosso calendário mágico segue girando e chega a um dos sabás mais...

Por DarkSide
FilmesNovidades

Como seriam filmes clássicos dirigidos por outros cineastas?

Existem alguns cineastas que adotam uma estética tão marcante que fica até difícil...

Por DarkSide