Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


DarkloveFilmes

Close e A Sonata Perfeita: Um debate necessário sobre amizade

Como a masculinidade interfere nas conexões entre garotos

06/03/2023

Leo e Rémi são dois jovens de 13 anos de idade que compartilham uma amizade inabalável. Eles passam boa parte do tempo juntos, dividindo experiências e não têm pudores quanto à afetividade que demonstram um pelo outro. São duas pessoas que gostam de estar juntas, que problema haveria nisso?

LEIA TAMBÉM: 10 LIVROS COM LIÇÕES VALIOSAS DA MARCA DARKLOVE

Porém o que se assiste nas cenas iniciais do filme Close, do cineasta Lukas Dhont (Girl), são os últimos momentos felizes de um verão que jamais viria a se repetir para os dois garotos. Quando entram para um novo grupo de colegas na escola, a amizade próxima dos dois desperta sentimentos de misoginia disfarçada de curiosidade e eles são questionados se são um casal.

O que ocorre a seguir é uma versão mais explícita do afastamento velado que muitos meninos passam durante a adolescência. Com medo de ser rotulado como homossexual, Leo começa a se distanciar de Rémi e a assumir uma postura que se espera das noções mais conservadoras de masculinidade. Para Rémi, resta a confusão e o sofrimento de ter sido abandonado repentinamente pelo melhor amigo.

O longa recebeu o Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes e é o representante da Bélgica na disputa pelo Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, chamando a atenção principalmente pela forma brutal em que lida com temas como amizade, amadurecimento, luto e assumir responsabilidades. Também funciona como um gritante lembrete de como a masculinidade tóxica afeta não somente as mulheres, mas prejudica as relações entre os próprios homens.

Neutralidade e amizades pós-guerra em A Sonata Perfeita

Em outra época e em outro país, a autora Rose Tremain também traz à tona a amizade entre meninos e os desequilíbrios que elas podem trazer. No livro A Sonata Perfeita, publicado através da marca DarkLove, a escritora nos apresenta à amizade de Gustav e Anton.

a sonata perfeita

Com histórias de vida bem diferentes, os dois garotos estabelecem uma improvável amizade que se baseia em uma cumplicidade que está mais interessada nas afinidades do que nas discrepâncias entre amigos. Porém, assim como ocorre em Close, os meninos, apesar de terem idades próximas, por vezes encontram-se em diferentes estágios de amadurecimento e afeição.

Isso leva a uma amizade nem sempre muito equilibrada entre os garotos. As necessidades de afeição de Gustav, que mantém uma relação mais distante com a própria mãe, são bem diferentes das de Anton, que está acostumado a colocar as suas necessidades em primeiro lugar.

Embora se passem em épocas diferentes e tenham desfechos bem distantes, Close e A Sonata Perfeita conseguem aquecer corações com a lembrança das nossas mais inabaláveis amizades da infância, e ao mesmo tempo parti-los com a fragilidade dessas conexões diante do tempo e das expectativas da sociedade sobre como as relações masculinas deveriam se desenvolver.

LEIA TAMBÉM: ROSE TREMAIN: “A FICÇÃO TEM O PODER E A MISSÃO DE TRAZER O GERAL PARA O INDIVIDUAL”

Experiências pessoais e a fragilidade das relações

Outro aspecto que une as duas obras e faz com que ambos transmitam sentimentos tão verdadeiros é justamente a influência de experiências pessoais por parte de seus autores. 

No caso de A Sonata Perfeita, Rose Tremain já afirmou que a dinâmica da amizade de Gustav e de Anton veio de exemplos bem reais. “Na minha vida, algumas amizades acabaram não dando certo simplesmente por causa da geografia. Mas todas as amizades que eu deliberadamente deixei sumir foram aquelas em que conversas verdadeiras e honestas não eram mais possíveis por causa da insistência destes amigos em sempre colocar a vida deles em uma posição muito mais importante do que a minha.”

De certa maneira, esse é um fator decisor na amizade de Leo e Rémi em Close. Em um momento crucial no amadurecimento dos adolescentes, Leo considerou que a imagem que os colegas teriam dele era muito mais importante do que os laços de sua amizade com Rémi.

Dhont também se inspirou em experiências pessoais para abordar o tema no filme, só que nesse caso ele se identificou com a posição de Leo. “Quando estava crescendo, comecei a temer intimidade com outros garotos porque sentia que vivemos em uma sociedade que costuma mostrar meninos em guerra.” Por causa disso, o cineasta admitiu que acabou afastando muitos amigos contra sua vontade.

Embora a sexualidade dos personagens não seja o foco de nenhuma das obras — principalmente em Close, cujo diretor considera esse um fator irrelevante para a história —, elas expõem a “fragilidade” das relações masculinas a partir de certa idade, quando cada comportamento começa a ser questionado sob um viés sexual. 

close
A24/Divulgação

Enquanto meninas nessa idade não se intimidam de expor a afeição pelas amigas, sendo muitas vezes encorajadas a isso, os meninos passam a perceber que conforme crescem, qualquer sinal de intimidade em suas relações com os amigos é questionado ou sexualizado. Esse tipo de preconceito também perpetua ideias antiquadas de que amizades entre diferentes sexos são impossíveis, pois haveria sempre um interesse romântico/sexual em questão.

Sabemos que términos de relações, de qualquer natureza, são dolorosos. Términos de amizades podem ser até mais traumáticos do que os de relacionamentos amorosos. Não faz sentido fragilizar as nossas relações pelo simples medo do que os outros vão pensar. Não faz sentido encerrar ou limitar amizades por causa de noções antiquadas de masculinidade ou de ver sexualização em absolutamente tudo.

A Sonata Perfeita e Close são duas obras que essencialmente nos lembram da manifestação do amor em diferentes formas. Ele não precisa ser sempre romântico, tampouco sexualizado. Nossos laços de amizade também são uma manifestação do amor. Por que deixar que algum freio social nos impeça de nos aproximar daqueles que amamos?

LEIA TAMBÉM: AS (NOVAS) AUTORAS DARKLOVE E SUAS OBRAS NO SELO

Sobre DarkSide

Avatar photoEles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

A Sonata Perfeita + Brinde Exclusivo
R$ 69,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Em Algum Lugar nas Estrelas + Brinde Exclusivo
R$ 69,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Leve-me com Você + Brinde Exclusivo
R$ 69,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Ela Não Pode Confiar

    Wicked
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
FilmesNovidades

Tudo que sabemos sobre MaXXXine

E quem diria que um terror indie sem distribuição chegaria ao terceiro filme com...

Por DarkSide
FilmesNovidades

Jogos Mortais XI tem novidades de roteiro e lançamento adiado

Marcus Dunstan, roteirista de Jogos Mortais XI, finalmente atualizou os fãs sobre o...

Por DarkSide
FilmesFirestar Videolocadora

Pin: Um Trauma feito de loucura e plástico

Alguns filmes sempre foram raros no Brasil, outros acabaram sendo subestimados e...

Por Cesar Bravo
CuriosidadesDarkloveEntrevista

Rachel Rabbit White pelas palavras de Nico Walker (e dela própria)

O que os livros Carrossel dos Desejos e Cherry: Inocência Perdida têm em comum? Numa...

Por DarkSide
GamesMacabraNovidades

Conheça o jogo de tabuleiro de Condado Maldito

Se você é fã da série de graphic novels Condado Maldito e gosta de jogos de...

Por DarkSide