Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


CuriosidadesMacabraMedo Clássico

Lovecraft na cultura pop

O horror cósmico estende seus tentáculos até hoje

04/03/2024

Nascido em 20 de agosto de 1890, Howard Phillips Lovecraft é um nome bastante conhecido pelos fãs de terror. Criador de criaturas míticas como Cthulhu e enredos permeados por medo, loucura e insignificância humana diante do universo, o controverso autor é um dos maiores representantes do horror cósmico

LEIA TAMBÉM: POLÍTICA, CIÊNCIA E CULTURA POP: O LEGADO DE CTHULHU

Tendo falecido em 1937, Lovecraft não presenciou o imenso impacto cultural que suas obras alcançaram. O autor, que nunca conseguiu se sustentar com seu trabalho literário, provavelmente nunca sonhou que se tornaria uma presença quase que onipresente no terror. É como se Lovecraft transcendesse o tempo, mantendo-se vivo por meio de suas histórias e monstros, que continuam nos assombrando até hoje. 

Você inclusive pode nunca ter lido nada do escritor, mas com certeza já se deparou com algo inspirado por suas histórias e criaturas. É justamente na cultura pop que o legado do autor encontrou terreno fértil, fornecendo o tom não apenas para outros escritores, mas também para músicas, filmes, séries de televisão e jogos. De Scooby Doo a South Park, passando por filmes de John Carpenter, Star Wars e Funkos Pops, vem que a Caveira te conta um pouco mais sobre a presença de H. P. Lovecraft na cultura pop. 

lovecraft south park

Lovecraft vai ao cinema

A presença de Lovecraft no cinema, especialmente no gênero de terror, acontece de diferentes formas. Para começo de conversa, suas histórias já foram adaptadas várias vezes para as grandes telas. O diretor Stuart Gordon, por exemplo, ficou conhecido por suas icônicas adaptações, resultando em clássicos do terror como Re-Animator (1985) e Do Além (1986). Mais recentemente, em 2019, Richard Stanley levou para os cinemas uma das histórias mais emblemáticas do americano no homônimo A Cor que Caiu do Espaço

a cor que caiu do espaço

Mas não são apenas adaptações que compõem o cinema lovecraftiano. Diversas produções se inspiram diretamente em temas e narrativas para criar seus próprios roteiros, aproveitando para fazer algumas referências pelo caminho. É o caso de A Morte do Demônio, cujo Necronomicon Ex Mortis é inspirado diretamente no “Necronomicon” de Lovecraft e do longa dirigido por John Carpenter, À Beira da Loucura (1994), que não apenas homenageia obras do autor, como também explora a temática da insanidade diante de deidades conhecidas como “os Grandes Antigos”.

LEIA TAMBÉM: O QUE SÃO OS MITOS DE CTHULHU

No entanto, há ainda os filmes que não possuem referências explícitas, mas cuja ambientação e tom evocam o horror cósmico, abordando temas lovecraftianos como o desconhecido e o inexplicável. Entre alguns exemplos temos Aniquilação (2018) de Alex Garland e O Enigma do Horizonte (1997) de Paul WS Anderson, assim como o clássico de Carpenter, O Enigma de Outro Mundo (1982), que influenciado por Nas Montanhas da Loucura traz a temática da insignificância humana perante uma força indescritível e indefinível.

o enigma de outro mundo

Vale também lembrar de uma cena em Rogue One: Uma História Star Wars (2016) quando o piloto de carga Bodhi Rook é apresentado a Bor Gullet, uma criatura capaz de sentir os pensamentos humanos por meio de seus gelatinosos tentáculos.  Em um aceno visual e temático a Lovecraft, o “encontro” com a estranha criatura pode fazer com que a pessoa perca a sanidade e tenha sua mente fragmentada para sempre…

Na televisão

Uma das mais recentes incursões de Lovecraft pela cultura pop foi exatamente na televisão. Em 2020, a HBO estreou Lovecraft Country, série baseada no romance homônimo de Matt Ruff, que acompanhava Atticus, um jovem negro que viaja pelos Estados Unidos dos anos 1950 em busca do pai desaparecido. Com dez episódios, Lovecraft Country incluiu inúmeras referências ao autor e adotou os elementos narrativos do horror cósmico. No entanto, um de seus maiores trunfos foi justamente trazer também uma crítica e análise do racismo e da xenofobia do autor.

lovecraft country

Embora a série criada por Misha Green seja uma das mais lembradas quando pensamos nas incursões do pai do horror cósmico pela televisão, há outros exemplos por aí. Cthulhu já apareceu algumas vezes no icônico South Park, sendo inclusive apontado como a razão da imortalidade de Kenny, um dos personagens principais da série. Enquanto isso, a primeira temporada de True Detective explorou temas como o pessimismo diante de um contexto cósmico, com referências aos Mitos de Cthulhu, à chamada Weird fiction e a O Rei de Amarelo, obra de Robert W. Chambers que influenciou imensamente o próprio Lovecraft. 

Já a animação Rick and Morty, não apenas traz a aparição de Cthulhu, como também conta com temas lovecraftianos, como a filosofia cósmica e a ideia de insignificância e vulnerabilidade da humanidade diante da imensidão do universo. Outro desenho que também incorporou a aura do escritor de Rhode Island foi Coragem, o Cão Covarde.  Ao contar a história do cachorro perturbado por eventos sobrenaturais em uma fazenda no meio do nada, a animação evocou com maestria a sombria atmosfera do horror cósmico, além de referenciar obras e personagens lovecraftianos. 

rick and morty

Para além de adaptações e inspirações, algumas séries foram além e trouxeram o próprio Lovecraft para uma aparição surpresa. É o que aconteceu em Supernatural e também em Scooby-Doo, que deu vida ao escritor pela voz do ator Jeffrey Combs, que protagonizou as adaptações cinematográficas de Stuart Gordon, Re-Animator e Do Além.

Na música

Vários músicos encontraram inspiração em Lovecraft ao longo do tempo. A banda de rock psicodélico fundada nos anos 1960, H. P. Lovecraft, homenageou o escritor da maneira mais evidente possível, em seu próprio nome! No entanto, o estilo musical que mais cita o pai do horror cósmico é definitivamente o heavy metal e seus derivados

A banda Metallica, por exemplo, mostrou interesse no trabalho de Lovecraft em duas músicas: “The Call of Ktulu” e “The Thing that Should Not Be”, a qual inclusive faz menção à um dos Grandes Antigos. Já os britânicos do Cradle of Filth mencionaram o querido Cthulhu algumas vezes em seus álbuns e canções. 

Lovecraft também é referência constante da banda americana Blue Öyster Cult, que aborda temas como civilizações antigas, misticismo e ocultismo. Inúmeras de suas canções são inspiradas em seus escritos, como “I am the One You Warned Me Of”, referência ao conto “O que Assombra nas Trevas” publicado em 1936 e que integra o livro H.P. Lovecraft: Medo Clássico Vol. 2. Em outros álbuns, como Curse of the Hidden Mirror, a Blue Öyster Cult cita os alinhamentos cósmicos que Lovecraft tanto escrevia sobre, mencionando a profecia da volta de Antigos Deuses e a destruição das civilizações humanas. 

LEIA TAMBÉM: BLUE ÖYSTER CULT E O CULTO AO HORROR

Nos jogos

Responsável por criar ambientes de desespero e loucura povoados por criaturas míticas, não é surpresa nenhuma que vários jogos de terror tenham se inspirado nas narrativas de Lovecraft. Um de seus contos mais famosos, “O Chamado de Cthulhu”, foi base para vários jogos, desde tabuleiro até versões para diferentes consoles. 

o chamado de cthulhu

Um dos exemplos mais significativos foi o homônimo RPG de mesa lançado em 1981 que transforma os jogadores em investigadores de mistérios paranormais ligados aos Mitos de Cthulhu. Ambientado dentro do mundo lovecraftiano, Chamado de Cthulhu foi o primeiro contato de muitos fãs com o escritor. Nisso seguiram-se outros RPGs famosos, como Arkham Horror, lançado em 1987, cuja ambientação é a fictícia cidade de Arkham. 

O jogo para computador Alone in the Dark, lançado em 1992, foi assumidamente inspirado nos Mitos de Cthulhu, desafiando o jogador a escapar de uma mansão mal assombrada onde diversos adversários são criaturas lovecraftianas. As referências são tantas que é possível até encontrar o Necronomicon na biblioteca da residência!

Entre tantos títulos, um dos mais famosos atualmente é Bloodborne (2015). O jogo abraça o horror cósmico com adversários amorfos, cheios de tentáculos e praticamente indescritíveis, além de entrar com tudo na ambientação das narrativas do autor. Bloodborne utiliza a mitologia de Lovecraft para criar um universo pessimista e insano, apresentando elementos como divindades antigas, a loucura perante o discernimento e os limites da compreensão humana. 

bloodborne

O horror cósmico e onipresente de Lovecraft

Ao longo do tempo, Lovecraft se tornou uma entidade na cultura pop. Além de filmes, séries de televisão e músicas, o escritor de Rhode Island também influenciou outros gigantes do terror, como Stephen King, Clive Barker e Robert Bloch. O mago dos quadrinhos Alan Moore é outro que também já se aventurou por seus horrores inomináveis em obras como The Courtyard, Neonomicon e Providence.

Além de inspirar mestres do terror e ficção científica, as narrativas lovecraftianas também impulsionam os chamados mashups, que reúnem diferentes mundos e épocas com as criações do autor americano. É o caso da coleção antológica Shadows Over Baker Street, que coloca o icônico detetive Sherlock Holmes para investigar os Mitos de Cthulhu. Já pensou em um encontro desses?

Não ache que acaba por aí! Explorando as consequências da expedição de Nas Montanhas da Loucura, o autor britânico Charles Stross fundiu a ambientação da Guerra Fria com os segredos dos Grandes Antigos em seu livro A Colder War

Caubóis, romanos, Idade Média, cyberpunk e até mesmo Funko Pops, tudo é possível para as mentes criativas que desejam experimentar com os Mitos e as criações lovecraftianas. O ilustrador Murray Groat, por exemplo, criou uma série de desenhos onde o aventureiro Tintim, criado pelo belga Hergé, encontra alguns dos horrores cósmicos.

funko cthulhu

Dono de uma mente controversa e inventiva, Lovecraft deixou um legado imensurável para a cultura pop. Agora que você já conhece suas criaturas, chegou a hora de conhecer melhor seu criador com Necronomicon: Vida & Morte de H.P. Lovecraft, lançamento da DarkSide® Books em parceria com a Macabra. Fruto da pesquisa afiada do professor W. Scott Poole, essa é uma biografia surpreendente que não apenas investiga a vida e as obras do escritor, como também seu legado na cultura. Integrando a coleção tentacular da Caveira, a obra oferece um olhar único sobre o autor cujas histórias se tornaram atemporais e mudaram para sempre o terror como conhecemos

necronomicon vida e morte de hp lovecraft

Escute o chamado e reúna coragem. Você vai precisar. 

LEIA TAMBÉM: 5 MOTIVOS PARA LER NECRONOMICON: VIDA & MORTE DE H.P. LOVECRAFT

Sobre DarkSide

Avatar photoEles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

  • Ela Não Pode Confiar

    Wicked
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Crime SceneCuriosidades

Jane Toppan: Conheça o caso dessa lady killer

Conhecida como “a primeira serial killer dos Estados Unidos”, Jane Toppan se valia...

Por DarkSide
FilmesFirestar Videolocadora

Deadly Blessing: Wes Craven, pesadelos e Sharon Stone

Alguns mestres supremos do terror se tornaram tão fortemente associados a algumas de...

Por Cesar Bravo
FilmesNovidades

Blumhouse fará um novo A Bruxa de Blair com a Lionsgate

Jason Blum vai reviver A Bruxa de Blair — e se você não captou o que significa essa...

Por DarkSide
Crime SceneLançamento

Lançamento: Lady Killers Profile: Jane Toppan, por Harold Schechter

Em 1891, Jane Toppan jurou cuidar e proteger em sua profissão como enfermeira...

Por DarkSide
Crime SceneNovidades

O.J. Simpson morre aos 76 anos

Aos 76 anos de idade, O.J. Simpson faleceu em decorrência de um câncer nessa...

Por DarkSide