Dark

BLOG

O UNIVERSO DARK DE FÃ PARA FÃ


CuriosidadesDarklove

Origens, história e tudo o que você precisa saber sobre sereias

De seres mitológicos a personagens pop

04/04/2023

Quem nunca se imaginou como seria morar no mar? Mais especificamente, em suas profundezas — tudo isso, claro, com um organismo adaptado ao ambiente. Hoje as sereias são consideradas criaturas belas, encantadoras e muitas vezes incompreendidas. Mas nem sempre elas foram vistas como seres amigáveis.

LEIA TAMBÉM: SOMBRIAS E REFLEXIVAS: CONHEÇA AS RELEITURAS DARK DE A PEQUENA SEREIA

Diferentes civilizações ao redor do mundo têm suas próprias lendas e crenças envolvendo sereias. O registro mais antigo de um ser metade mulher, metade peixe data de 1000 a.C., ou seja, esses seres povoam o imaginário popular há pelo menos 3 mil anos!

O nome da primeira sereia que se tem registro é Atargatis, personagem de uma lenda síria. Ela era uma deusa bela e poderosa que se apaixonou por um jovem pastor. Porém, Atargatis acidentalmente matou seu amante e, inconsolável em seu luto, se jogou ao mar para se afogar. Só que a sua beleza era tão grande que os deuses não permitiram que ela morresse, e foi assim que ela se tornou uma sereia.

Sereias ao redor do mundo

Desde a lenda de Atargatis, outros povos também desenvolveram sua própria mitologia em torno de sereias. As histórias que mais conhecemos no Ocidente vêm dos gregos. Um exemplo envolve a irmã do imperador Alexandre, o Grande: Tessalônica

Dizem que ela teria sido transformada em sereia quando morreu, e a partir de então teria passado a habitar o mar Egeu. Tessalônica sempre perguntava sobre seu irmão quando se deparava com algum navio em suas águas. Só que o suposto interesse era uma pegadinha: se a resposta estivesse errada, os marinheiros seriam condenados a uma tempestade catastrófica.

Caso você queira se garantir, na possibilidade de se deparar com Tessalônica, a pergunta que ela sempre fazia era “O rei Alexandre está vivo?”, ao que se deveria responder que ele estava vivo, bem e conquistando o mundo. Qualquer coisa diferente disso era capaz de selar um destino terrível para o marinheiro. Se você respondesse corretamente, teria uma passagem segura pelo mar.

Os russos também têm suas próprias lendas envolvendo sereias, chamadas de rusalkas. Naquela cultura, elas eram consideradas espíritos benevolentes que traziam fertilidade e uma boa colheita. Porém, no século XIX as rusalkas passaram a ser interpretadas como espíritos violentos de mulheres que morreram afogadas. Nessa versão, elas atrairiam outras pessoas para se afogarem, como uma espécie de vingança.

rusalka
Créditos: masianis.pl / wikipedia

Sereias diferentes das versões europeias são descritas nas histórias das Mil e Uma Noites. A versão do Oriente Médio dessas criaturas tem uma aparência bem mais semelhante à humana. A única diferença é que elas conseguem sobreviver debaixo d’água.

Na Grã-Bretanha, acreditava-se que ver uma sereia no mar era um mau presságio. Elas indicariam que tempestades terríveis se aproximavam. Em algumas obras literárias, as sereias avisariam marinheiros de seus destinos trágicos.

Para os coreanos, as sereias também tinham essa missão de alertar os marinheiros. Porém, elas eram vistas como criaturas benevolentes, que avisavam pescadores das tempestades jogando pedras na água e cantando, evitando assim que eles se arriscassem a navegar sob tais condições.

No Sudeste Asiático, em países como Tailândia e Camboja, há a lenda de uma sereia que era uma princesa e que teria se apaixonado pelo o herói de Ramayana, ajudando-o a concluir a ponte que ele estava construindo.

Aqui no Brasil a sereia mais famosa do nosso folclore é Iara. De acordo com a lenda indígena, Iara era extremamente bela e usava sua voz para atrair os homens que passassem por suas águas, no rio Amazonas. Só que quem se rendesse aos seus encantos era levado para sua residência nas profundezas do rui, e nunca mais eram vistos.

Iara
The ponta cabeça/Wikipedia

No idioma tupi, Iara significa “senhora das águas” e diz a lenda que ela era filha de um pajé. Porém, historiadores defendem que sua lenda é uma adaptação da mitologia europeia, provavelmente a grega, e que deve ter chegado em terras brasileiras durante o período colonial.

Aves ou peixes?

Há alguma confusão sobre a representação das sereias na mitologia grega. Quem leu o épico Odisseia deve se lembrar de quando o herói Ulisses (ou Odisseu) pediu para ser amarrado ao mastro do navio para que pudesse ouvir o canto das sereias sem ser atraído para um trágico destino. Só que a representação conhecida da história seria de seres que são metade ave, e não metade peixe.

No original, Homero não chegou a descrever como seriam essas sereias, mas os escritores que recontaram suas histórias acrescentaram a caracterização dos pássaros, provavelmente inspirando-se em criaturas da mitologia egípcia, que tinha deidades com feições de aves associadas à morte.

odiosseia

No inglês há uma diferença bem grande dos termos utilizados para se referir aos dois seres: mermaid para as sereias metade peixe, e siren para as de Homero, que acabaram ganhando penas e asas. No português, a palavra “sereia” se deriva do grego antigo, das tais sirens ou “sirenas”.

Naquela época, a principal diferença entre as sereias de escamas e as de penas estava na sua natureza. Enquanto as primeiras eram mais benevolente, as segundas eram mais traiçoeiras. Porém, ao longo dos séculos as duas versões acabaram se mesclando e as criaturas com rabo de peixe povoaram o imaginário popular.

Deusas sereias

Mais do que lendas, esses seres acabaram se tornando deidades em algumas culturas. Em Divinas Mulheres, Ann Shen nos apresenta a algumas delas:

Ran: deusa nórdica do mar, Ran possui uma rede de pesca mágica utilizada para capturar navios e marinheiros. Conhecida por ser uma deusa perigosa, ela já foi culpada por naufrágios, por quedas ao mar e desaparecimentos de homens. Ela também é famosa por gostar de ouro, por isso, os marinheiros costumavam andar com moedas nos bolsos, em busca de proteção.

LEIA TAMBÉM: 5 DEUSAS DE DIVINAS MULHERES PARA CONHECER E SE INSPIRAR

Iemanjá: a orixá que rege toda a vida aquática na cultura iorubá é frequentemente representada como uma sereia. Acredita-se que ela tenha dado luz à vida na Terra e também é mãe dos catorze orixás. Conhecida por seu temperamento controlado, Iemanjá pode se tornar violenta e implacável quando irritada, causando tempestades no oceano. Até hoje seus seguidores fazem oferendas a ela nos mares do litoral brasileiro.

Nyai Loro Kidul: deusa sereia de Java, na Indonésia, Nyai Loro Kidul era uma princesa mortal que foi envenenada em um banho por sua invejosa madrasta, o que lhe rendeu furúnculos doloridos e fez com que ela fosse banida do reino por causa de sua aparência. Foi então que ela ouviu uma voz dizendo que ela pulasse na água para curar suas feridas e se tornar uma deusa. Além de ela ter se tornado mais linda do que nunca após o mergulho, Nyai Loro Kidul se tornou uma sereia que recebe oferendas nos mares até os dias de hoje.

divinas mulheres

Quem são as sereias reais?

Mas afinal, de onde surgiu a ideia de criaturas híbridas de humanos com peixes? Garanto que a explicação é bem menos atraente do que o canto das sereias. Em tempos antigos as pessoas criavam lendas para explicar qualquer fenômeno incompreensível, e com as sereias não foi diferente.

Os supostos avistamentos de sereias, que se tornaram populares por volta dos séculos XV e XVI — época em que ocorreram as grandes navegações — podem ser explicados pelos animais marinhos encontrados em tais expedições, como baleias e focas, que os marinheiros acreditavam ser sereias.

A gente consegue até entender o motivo da confusão: pense que eles viam apenas partes dos corpos desses animais na água, geralmente a cauda e pedaços do torso. O resto ficava a cargo da imaginação fértil de pessoas que passavam meses em um navio sem ver nada a não ser o oceano.

A explicação mais provável do animal que os marinheiros imaginavam ser sereias era o peixe-boi-marinho, uma espécie desconhecida dos europeus naquela época. Tem até quem diga que o próprio Cristóvão Colombo confundiu um esqueleto desse animal, acreditando se tratar de uma sereia.

peixe boi
Fotolia/WWF

Sereias na cultura pop

Muitas águas já se passaram do mundo antigo até os dias atuais, o que nos permite saber que um peixe-boi não é uma sereia, por exemplo. Mas ainda assim as sereias inundam o imaginário popular. 

Uma história que contribuiu bastante para essa fama foi o clássico A Pequena Sereia, de Hans Christian Andersen. A história original, é claro, é bem mais sombria do que a sua versão Disney e está no livro Princesas Dark, que reúne esse e outros contos de fadas que marcaram gerações.

Lógico que a adaptação da Disney tem um papel crucial na popularização das sereias nos últimos trinta anos. A animação de 1989 trouxe uma versão bem mais leve e musical, amigável a audiências mais novas, e marcou a infância de muita gente nos anos 1990 e 2000. Agora, a versão live-action do clássico está pronta para encantar as novas gerações com o inconfundível canto de Ariel, dessa vez na magnífica voz de Halle Bailey.

Novo A Pequena Sereia

Voltando aos anos 1980, o filme Splash: Uma Sereia em Minha Vida também já mexia com o imaginário popular sobre como seria ter um corpo de sereia nos dias atuais (no caso, os dias atuais de 1984). A comédia, em conjunto com a animação da Disney, transformou essas criaturas em uma febre e deru a ela uma conotação muito mais amigável do que as traiçoeiras versões das lendas.

E da própria história de Andersen (e suas versões Disney), surgiram outras narrativas que colocam as sereias no meio de dilemas bem humanos. Uma delas está no livro A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões. Nele, Louise O’Neill conta história da jovem Gaia com contornos feministas, colocando a protagonista em uma jornada para se livrar das prisões e silenciamentos às quais as sereias são submetidas onde vivem. 

Não brincamos quando falamos do poder encantador das sereias nos tempos atuais. O “sereismo” é um fenômeno real que tirou esses seres apenas dos livros e filmes os trouxe para o nosso dia a dia, através de bonecas, roupas, maquiagens e até mesmo caudas para nadar por aí que nem a própria Ariel

E se você precisava de mais uma prova de que sereias são pop, as nossas musas musicais estão aqui para isso. Lady Gaga é uma que já abraçou o sereismo no videoclipe “Yoü and I”:

Até a nossa sacerdotisa suprema do indie, Florence Welch, compartilhou um vídeo que é uma verdadeira provocação com uma bela e escamosa cauda de sereia. O vídeo gerou mais dúvidas do que certezas nos fãs, mas a Caveira já avisa que topa qualquer coisa que envolva essa mulher e sereias! Clique aqui para saber do que a gente está falando.

florence sereia
instagram.com/florence

Sereias mergulharam de vez no nosso imaginário e seu canto sedutor continua nos hipnotizando há milênios. No que depender da Caveira, continuaremos navegando por mares fantásticos e vivendo as aventuras encantadoras dessas personagens. 

E você? Também quer fazer parte desse mundo? Conta pra gente nos comentários o que você mais ama nas sereias.

LEIA TAMBÉM: A PEQUENA SEREIA & O REINO DAS ILUSÕES: RELEITURA NA HORA CERTA

Sobre DarkSide

Avatar photoEles bem que tentaram nos vender um mundo perfeito. Não é nossa culpa se enxergamos as marcas de sangue embaixo do tapete. Na verdade, essa é a nossa maldição. Somos íntimos das sombras. Sentimos o frio que habita os corações humanos. Conhecemos o medo de perto, por vezes, até rimos dele. Dentro de nós, é sempre meia-noite. É inútil resistir. Faça um pacto com quem reconhece a beleza d’ O terror. O terror. Você é um dos nossos.

Website

3 Comentários

  • André

    7 de abril de 2023 às 10:17

    A Rusalka é dos chefes, que ficam na parte do mar no jogo Castlevania: Order of Eclesia.

  • Juarez

    15 de abril de 2023 às 00:47

    Na residência DIVA LAS VEGAS a divina Bette Midler interpreta a sereia Delores, sentada em uma cadeira de rodas motorizada ela domina o palco juntamente com as dançarinas do show, igualmente caracterizadas. Mas essa não foi a primeira vez que ela usou essa personagem em shows: no pôster do show DIVINE MADNESS ela aparece num trono usando uma maravilhosa cauda de sereia!!

  • Nara

    4 de agosto de 2023 às 10:55

    no meu interior, a sereia levou uma menina ela foi ajuntar o sabonete na água e as pessoas só viram a cauda da sereia e quase levaram um bebezinho q foi atrás de sua mãe no campo e voltou td arranhado sorte dele mais ele não PD ir no interior se não a sereia encanta ele e PD até matar ele agora ele mora em Vitória

Deixe o seu comentário!


Obrigado por comentar! Seu comentário aguarda moderação.

Indicados para você!

Divinas Mulheres + Brinde Exclusivo
R$ 69,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
Inútil Magia + Brindes Exclusivos
R$ 129,90
5% de Descontono boleto
COMPRAR
  • Ela Não Pode Confiar

    Wicked
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
FilmesFirestar Videolocadora

Deadly Blessing: Wes Craven, pesadelos e Sharon Stone

Alguns mestres supremos do terror se tornaram tão fortemente associados a algumas de...

Por Cesar Bravo
FilmesNovidades

Blumhouse fará um novo A Bruxa de Blair com a Lionsgate

Jason Blum vai reviver A Bruxa de Blair — e se você não captou o que significa essa...

Por DarkSide
Crime SceneLançamento

Lançamento: Lady Killers Profile: Jane Toppan, por Harold Schechter

Em 1891, Jane Toppan jurou cuidar e proteger em sua profissão como enfermeira...

Por DarkSide
Crime SceneNovidades

O.J. Simpson morre aos 76 anos

Aos 76 anos de idade, O.J. Simpson faleceu em decorrência de um câncer nessa...

Por DarkSide
LançamentoWish

Campanha no Catarse: Alice: Edição Pesadelo

O clássico onírico de uma menina que cai num buraco e se questiona sobre a vida, a...

Por DarkSide